Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

RTP: intencional ou incompetência

Amanhã celebra-se em todo o mundo o Dia do Trabalhador. A festa do 1º de Maio é feriado nacional no nosso país e os trabalhadores aproveitam para comemorar a data das mais diversas formas, com especial ênfase para as concentrações promovidas pelas centrais sindicais CGTP e UGT.
Neste mesmo dia, com tantas abordagens sobre a problemática ligada ao trabalho e ao desemprego que seria importante equacionar, a RTP entendeu que a 'Grande Entrevista' a cargo de Judite de Sousa deveria convidar Pedro Santana Lopes...
por João Severino às 22:06
link do post | comentar | ver pauladas (2) | favorito
| partilhar

Cuidado com a margarina

À semelhança do óleo de girassol agora também foi detectada margarina contaminhada com hidratos de carboneto. A ASAE já apreendeu duas toneladas de margarina importada. Tome precauções com a margarina que escolhe para consumo.
por João Severino às 22:01
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Grande fim de tarde

Caros ouvintes deixo-vos com uma composição acabada de gravar nos nossos estúdios da autoria de um grupo de jovens que costuma tocar aqui na garagem do meu prédio. Um som sensacional que irá revolucionar o panorama musical cá do bairro.
Convosco em estreia absoluta os rapazes "The Eagles"!!!



por João Severino às 18:10
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Publicidade (21)


COMPRE E LEIA A REVISTA

jazz.pt
por João Severino às 17:58
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Chá das cinco (98)


photo dragonfly
por João Severino às 17:39
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Quotas...

Paulo Portas disse no Parlamento que José Sócrates era um "quota". Só não esclareceu a que "quota" pertence...
por João Severino às 17:15
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

'Nova Águia' é nova revista

O despertar da consciência dos portugueses para um debate sobre a identidade nacional é o objectivo central do primeiro número da revista Nova Águia, à venda a partir de 19 de Maio, anunciou hoje a direcção da nova publicação.
"Queremos contribuir para despertar as consciências sobre a identidade nacional", afirmou Paulo Borges, um dos directores da revista, que pretende retomar o espírito da Águia, uma das mais importantes publicações portuguesas do início do século XX.
Segundo Paulo Borges, que falava na apresentação do primeiro número da Nova Águia, existe uma relação entre a situação em que o país se encontrava no início do século XX e aquela em que se encontra actualmente, no princípio do século XXI.
"Na altura, como agora, existia alguma indefinição quanto ao rumo da Nação, um certo sentimento de desalento. A Nova Águia pretende apontar algumas respostas nesse sentido, contribuindo para repensar a ideia de Pátria", afirmou.
A Ideia de Pátria é, aliás, o tema central do primeiro número, que conta com dezenas de textos e poemas sobre o assunto.
Ao longo das mais de 150 páginas da revista podem ser lidos também outros textos e poemas de autores variados, além de um inédito de Agustina Bessa-Luís, intitulado 'O fantasma que anda no meu jardim'.
"Pretendemos assumidamente relançar a revista Águia, naturalmente adaptando-a ao nosso tempo. Nesse sentido, procuramos agrupar os grandes vultos da cultura portuguesa para que se debrucem sobre temas actuais", salientou Renato Epifânio, também director da revista.
Nesse sentido, revelou que o segundo número, que será publicado antes do final do ano, será dedicado ao futuro da lusofonia.
A Nova Águia, com periodicidade semestral, será lançada a 19 de Maio, no Porto, seguindo-se depois sessões de lançamento em vários pontos do país.
"A Águia surgiu em 1910 no Porto, pelo que nos pareceu ser um justo tributo lançar a Nova Águia também no Porto, frisou Celeste Natário, que completa o trio de directores da nova publicação.
A Nova Águia terá uma tiragem inicial de cerca de 3.000 exemplares e será vendida a 12 euros o exemplar, podendo ser adquirida especialmente em livrarias.
A capa do primeiro número é da autoria do escultor José Rodrigues, um dos mais de 500 nomes da cultura lusófona que já aderiram a este projecto, tornando-se assinantes da revista.

por João Severino às 17:03
link do post | comentar | ver pauladas (2) | favorito
| partilhar

Cacha de Louçã...

Francisco Louçã, líder do Bloco de Esquerda, deixou esta tarde a Assembleia da República de boca aberta quando anunciou uma grande cacha jornalística. A dado momento da discussão com José Sócrates no Parlamento, Francisco Louçã disse o seguinte:
"Oiça, senhor primeiro-ministro, que talvez não saiba. Há dois dias os seus ministros das Finanças e o das Obras Públicas concessionaram por 27 anos a extensão do cais de contentores de Alcântara à Mota-Engil"
por João Severino às 16:35
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Gosto muito de animais (45)

por João Severino às 16:33
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Blogando com prazer (112)

os olhos de Anna Karina...


Um dia vou acordar no Mundo da nouvelle vague francesa, inscrever-me na época da profunda mutação social e cultural, que era, em uníssono, em prol da novidade, mas também do novo romance, da nova música, da nova pintura - a democratização da cultura.
E se band a part enuncia o desenvolvimento da obra ficcional de Godard, colocando a traição como pano de fundo (tema recorrente nos filmes da década de 60), em a bout de soufle Patrícia executa majestosamente a morte de Michel e faz aquele movimento do polegar sobre os lábios. É que Jean-Luc (se preferirem) costuma dizer que «trair é amar» ou, em reciprocidade, «morrer é transmitir».
Mas ao contrário do que possa parecer, esta arte não é imoral, pelo contrário, o herói morre e a expressão “nojo” estampa-se-lhe no rosto. E a partir de uma única palavra, surge um programa estético que afirma a irredutabilidade de uma arte que apenas procura o politicamente correcto.
…e como se dizia na Cahiers do Cinema «Os Anos Karina foram, decididamente, os mais juvenis e ficcionais de Godard».

Nota: Naturalmente “a terra treme” com a bela escandinava de olhos azuis – acinzentados e andar cambaleante que Godard contratou. Ela é o mesmo que Ingrid Bergman representou para Rosselini: chama crua que consome a carne, o estereotipo de mulher amada na fogueira do cinema.
posted by Tiago Barra, in DOGVILLE (Recomendo)
por João Severino às 16:21
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Bocas na rua (39)

- Ó Arnaldo, com que então o Ronaldo brasileiro queria prostitutas para uma noite e sairam-lhe três travestis...

- E teria gozado muito?...

Actualização

Incidente com travestis pode custar ao brasileiro Ronaldo o patrocínio vitalício que tem com a marca norte-americana Nike, avaliado em qualquer coisa como 100 milhões de euros. Entretanto, a sua namorada já o deixou.
por João Severino às 16:10
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Blogando com prazer (111)

POEMA DISSOLVENTE


Todos os blogues analisam a Política, puta que os pariu!,
tão bons a analisar Política: tão bons, mas tão bons,
que me despertam excesso, vómito, estar longe, umas tonturas de problemas tiroidais.
Não dizem um palavrão. Não saem das marcas. Não cometem pecados nem excessos.
Em vez de caralho digitam todos c*****. Em vez de foda-se, digitam f****.
Que país tão delicado, Meu Deus! Só Tu me entendes.
Eu perco logo metade das audiências quando
ouso grafar caralho, mas um caralho sincero, vindo das minhas tripas
ou quando ousei exclamar foda-se e foder,
mas com toda a raiva e ressentimento e ódio genuínos,
vindos directamente do meu bolso vazio e da minha indignação
com os Corruptos e Mentirosos que se atrevem a sorrir para as câmeras.
Meu Deus, só Tu me entendes. Os seres humanos são pudicos e moralistas
e por isso mesmo perdem o melhor da vida.
Parte do melhor da vida deveria ser, para eles, lerem-me a fundo e amarem-me tal como sou.
lkj
Não sirvo para me manter popular. Não domino essa arte magistral.
Nunca serei popular e se alguma vez for popular será precisamente a popularidade de ser impopular, que é a popularidade que me interessa.
Tenho demasiado sofrimento e insatisfação para ser popular como o Nuno Markl
e as suas gargalhadas secas e despropositais.
As máscaras, sim, essas máscaras equilibradas e contidas gerais,
que nunca fazem inimigos como eu (sou muito bom a fazer amigos e a fazer inimigos!)
de blogues equilibrados e contidos, esses, sim, serão!,
são já populares.
lkj
De resto, no que toca à análise Política,
fica-se abismado como todas as mentes que blogam
evidenciam um tão apurado sentido de análise
e de humor no tratamento do momento crítico do PSD e da Política em geral, a Puta!,
ou na observação da sofreguidão-PS
em escapar à ira futura do voto lúcido no BE e no PCP,
(oxalá cresçam e se afirmem! Só falta ao PCP abjurar dos Camaradas Pulhas das Farc
e seriam logo mais cem mil votos! Eu gosto de partidos de Direita como o BE e o PCP!)
coisa, votar!, que farei com triplo prazer,
mal me dêem a respectiva oportunidade constitucional
de assim me vingar ardorosamente
desta Merda que me fizeram pessoalissimamente a mim e só a mim.
Toda a gente, aliás, é excepcionalmente interessante a escrevinhar sobre Política.
São blogues aos pontapés, que nojo!, só sobre esse conteúdo aflitivo e inerte e inútil,
de importância vital para a Sociedade como a compostagem dos lixos.
lkj
Pois até eu, cobardemente, ociosamente,
tenho desperdiçado o meu infinito,
e cada vez mais reconhecido!, talento
nesse desporto iníquo que é comentar a Política, do que me arrependo:
tenho sido um esbanjador de verbo e de postas originais sobre Política, caro leitor,
pelo que te peço perdão. Perdoas-me?
Tanto texto acumulado acerca dos Perdidos da Vida,
da Magreza da TóxicoManuelaDependente que me diz que vai ser internada
naquelas petas para meter assunto e atrair melhores moedas para a dose!
Tantas notas tiradas sobre o Arrumador e as suas tácticas de sucesso
a extorquir dinheiro a quem estaciona,
e os clientes do Pub que se comportam como Cabrões Gratuitos para comigo, raros que sejam!,
para agora deitar tudo a perder com a Puta da Política?!
çlkj
A Política, a Cabra, a Grande Filha da Puta, a Grande Prostituta de Abril,
da Mentira Praticada e Confessada de Abril, não me merece uma só gota de génio.
lkj
Mas para quê, caro, caríssimo leitor, delicioso leitor das minhas Palavras Sáurias?
Para que me vens tu ler com fidelidade as minhas acrobacias linguísticas sobre Política?
Não tens tu Marcelo? Não tens tu o Pacheco, tão Papal em tudo
absolutamente ao Lado da Realidade escolhida, votada e plebiscitada,
pirraça da democracia à intelectualidade Papal do Pacheco?
Não escreve o João Gonçaves, como um Ácido Famoso, sobre a Política e os Políticos
naquela raiva compreensível não por quaisquer comissões,
mas porventura pelo lugar de conselheiro
ou pela posição de relevo co-decisória que justamente sente merecer?
Não sabes que isso, sim, é que é análise e acerto?
lkj
Eu sei. É uma ânsia de rir. Eu sei. Por isso me visitas.
É para isso que se escreve sobre Política
e se dizem coisas infinitamente inteligentes sobre Política
que 1598 visitadores hão-de vir papar adorativamente num só blogue?
É o prazer e o sonho das audiências.
E deixa-me dizer-te que com essa brincadeira da Política as tive, às audiências.
Ultrapassei com essa brincadeira de comentar Política
a fasquia simbólica dos 250 visitantes/dia durante muitos dias.
Andei entusiasmado: eia, uau, viva! Nem dormia de noite.
Nem tinha vontade de me alimentar.
A excitação era tanta que mal cagava
ao tocar da campainha biológica de ter de cagar.
Mas depois de toda esta festa de ser visitado e aparentemente popular
tive de descansar.
Não se pode ser imensamente produtivo e genial e popular
sem que se estourem alguns neurónios de fadiga e sem que se perceba,
como muito bem notou uma das minhas irmãs,
que esta merda não me paga,
não me permite sobreviver para que tanto se lhe dedique a minha pessoa utópica.
lkj
E eu até fui um precursor no uso do Twingly, usei-o com ampla vantagem primeiro,
antes que muitos ou que todos que se portaram como aqueles animais
que esperam que um primeiro
dê a dentada/bicada inaugural na carniça duvidosamente morta
antes de se sentirem seguros e avançarem em bando/matilha.
Fui dos primeiros até que se vulgarizasse inteiramente como agora.
Tal como eu então, todos querem ser os pulgões na haste verde da popularidade
e do sucesso visitacional nos seus blogues. Por isso fazem piruetas,
e fazem palhaçadas verbais com cores garridas e vistosas
e grandes títulos imperdíveis
e grandes e racionais discursos muito compenetrados e competentes = a zero.
O Twingly é hoje usado e abusado por todos os bloggers sequiosos,
como eu então, de aumentar as audiências.
lkj
Mas é um logro.
Nada como a parcimónia em tudo,
menos em sexo e em atenção paternal aos nossos filhos.
A febre passou-me. Passou-me essa deriva ilusória por coisa nenhuma.
Foi o milagre de 120 minutos = 10 Km de esteira,
numa caminhada em bom rítmo,
imensa transpiração e um bom duche depois
para concluir que não vale nada a pena fadigas por popularidade.
Não vale a pena enchamerdear o meu blogue com publicidade se não sou o Obvious.
Não paga? Não vale a pena.
Não vale a pena desperdiçar talento excelente em links mil-twingly sobre Política
ou sobre os Prada que o PM usa como cuecas e as pequeninas coisas originais
que se podem escrever sobre tudo com ampla popularidade:
a beleza de Ana Drago e de como é sexy na sua pronúncia sexy sobre Desemprego e Ambiente.
Ou a pose hirta, cavaquiana, militar de Ferreira Leite
empurrada para ser líder, mas sem vontadinha nenhuma
porque toda a vontadinha é Rio/Pacheco.
Isto não é uma posta sobre o PSD. Isto não tem nada a ver com o PSD.
Isto é o meu basta de falar de Política e dos Políticos!
Todos infelizmente temos muunta fraca memória! Muunta!
E chega! Chega! Chega!
por João Severino às 15:58
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Incesto na Áustria


Cartoon de Stephane Peray*, in Hoje Macau

*Este cartonnista, um dos melhores do mundo, iniciou a sua actividade em Macau pela minha mão
por João Severino às 15:22
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Publicidade (20)

já se REGISTOu?

eu REGISTO-me!
por João Severino às 15:16
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Abandonaram Santana Lopes...

Por que será que ilustres "amigos" e membros do Governo de Pedro Santana Lopes passaram agora a apoiantes de Manuela Ferreira Leite?
Com Santana Lopes em primeiro-ministro vejam bem quem se mudou:

Álvaro Barreto
(ministro de Estado, das Actividades Económicas e do Trabalho)

Nuno Morais Sarmento (ministro de Estado e da Presidência)

José Pedro Aguiar Branco (ministro da Justiça)

José Luís Arnaut (ministro das Cidades, Administração Local, Habitação e Desenvolvimento Regional)

Fernando Negrão (ministro da Segurança Social, da Família e da Criança)

Luís Pais Antunes (secretário de Estado adjunto do ministro das Actividades Económicas e do Trabalho)

Jorge Neto (secretário de Estado da Defesa e dos Antigos Combatentes)

António Montalvão Machado (secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares)

Henrique de Freitas (secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação)

Paulo Rangel (secretário de Estado adjunto do ministro da Justiça)

José Cesário (secretário de Estado da Administração Local)

José Eduardo Martins (secretário de Estado do Desenvolvimento Regional)

por João Severino às 15:05
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Meio-dia (98)


photo leo sombra

- Hoje não me telefonem... já pinto!...
por João Severino às 11:59
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Maravilhoso

Baptista-Bastos, in DN, hoje

Cavaco despreza Santana, que deprecia Pacheco, que desdenha Menezes, que odeia Rio, que apouca Santana, que detesta Pacheco, que menospreza Menezes, que desconsidera Marcelo, que destrata Patinha, que desaprecia Borges, que caustica Santana, que aborrece Mendes, que desvaloriza Pacheco, que atazana Santana, que rebaixa Leite, que desabona Menezes, Mendes, Santana, Patinha, Aguiar, e todos os outros restantes; e todos os outros restantes abominam os anteriores.
Entretanto, Passos execra Marcelo, que subestima Passos e adora Leite, que é adorada por Cavaco, que desacredita Menezes, que ignora Durão, que não pode com Marcelo, que desvaloriza Pacheco, que estremece Cavaco, que repele Aguiar, que rechaça Marco António, que incomoda Ribau, que desaprova Relvas, que enjeita Gomes da Silva, que contraria Sarmento, que evita Patinha, que exprobra Pacheco, que o não toma a sério.
Ângelo Correia gosta de toda a gente. Agora, um pouco mais de Passos, um pouco menos de Menezes, que gosta muito de Santana, que adora Sá Carneiro.
Cavaco gosta muito de Jardim, que provoca idênticos sentimentos a Pacheco, a Sarmento, a Patinha, a Ribau, a Relvas, a Gomes da Silva, a Aguiar, a Durão, a Marcelo, a Menezes, a Passos, a Leite, a Rio, a Mendes, a Marco António e, também, a Guilherme Silva. Jardim gosta muito dele próprio.
Pedro Pinto venera Santana, que muito a si mesmo venera. Seara nega e arrenega Cadilhe ou talvez não. Cadilhe desconfia de Borges e Borges desconfia de quase toda a gente, com excepção de Cavaco, que, averiguadamente, apenas se sabe que despreza Santana, que suspeita de Borges, que olha de viés para Mota Amaral, que reprova o outro Amaral, que abjura o outro Pedro, o Pinto, que evita Marco António, que não pode com Marcelo, que maldiz Mendes, Santana, Aguiar, Durão, que se ama a si mesmo.
Sarmento, por seu turno, não tolera Pinto, Seara, Duarte, os dois Amaral, Cadilhe, Borges, Aguiar, Durão, Relvas e Gomes da Silva. Deste, não se sabe de quem gosta e de quem não gosta. De Menezes e de Santana está provado que os não suporta, e de tal forma que deu cabo dos governos deles.
Durão enleia-se com Cavaco e odeia Pacheco, que reprova Pedro Pinto, que detesta Marcelo, que ironiza sobre toda a gente, exceptuando Sá Carneiro. Mesmo assim, a dúvida persiste em Cavaco, aliás, a única dúvida que lhe apoquenta o espírito.
Seara diz que sim, Sarmento diz que não, Ribau diz talvez, Relvas não sabe ainda muito bem; Borges não vai com Menezes, que olha Duarte de viés.
Quem ama e quem odeia quem? No último Expresso, António Pinto Leite rematava a sua habitual artigalhada com um místico suspiro: "Haja PSD."
por João Severino às 11:52
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar

Asas antigas (10)

por João Severino às 11:49
link do post | comentar | ver pauladas (4) | favorito
| partilhar

Leitor do dia (14)

O leitor ou a leitora que hoje contemplo nesta rubrica visitou o PPTAO em Amadora cujo registo corresponde à leitura da mensagem 'Cambalacho casino Lisboa não tem fim (3)'. Abraço e volte sempre.

por João Severino às 11:47
link do post | comentar | favorito
| partilhar

Pinto da Costa não se cala...





Jorge
Nuno Pinto da Costa é presidente do Futebol Clube do Porto desde os tempos em que o Bulhão não vendia peixeiradas de protesto. Hoje o timoneiro dos dragões concedeu uma entrevista à Visão e mais uma vez, foi polémico. Aqui vos deixo algumas passagens de estalo:

"Não admito ser condenado"

"Nos processos não há uma chamada para árbitros. Sinto-me perseguido, obviamente!"

"Na relação com Carolina Salgado mais do que ingénuo, fui estúpido"

"Se eu puder contratar jogadores para não pagar vou já buscar o Cristiano Ronaldo e quem vier atrás que feche a porta"

"De Lisboa gosto da zona das partidas no aeroporto"

"Vi o 25 de Abril com esperança mas não vou agora dizer que era um lutador anti-fascista"

"Não tenho nada de que me envergonhar"

"Os quilómetros de fita das minhas chamadas gravadas talvez dêem para ir à Luz - não ao hospital! - e voltar"

"Disse em tribunal que ganhava mais ou menos dez mil euros por mês"

"Asas têm os passarinhos e os milhafres, como aquele do Estádio da Luz. Dizem que é uma águia, mas é um milhafre"

"Só vejo possibilidade de resistência ao centralismo lisboeta através do poder local"

"Luís Filipe Vieira ainda é sócio do Futebol Clube do Porto. Tem as quotas em dia"

Comentário oportuno de J.C.

Esta é uma daquelas entrevistas em que o nome do entrevistado nem precisava de vir escrito para a gente o reconhecer.
Basta ler todas aquelas afirmações cheias de espinhas. E reter que pela boca costuma morrer o peixe...
por João Severino às 11:01
link do post | comentar | ver pauladas (4) | favorito
| partilhar

pptao

Um blogue onde deixarei simples observações sobre o que vai acontecendo à nossa volta neste mundo global. Também serve de contacto com imensas pessoas que gostaram de mim. O título do blogue? Porque sempre fui "pau para toda a obra". Obrigado por ter vindo. “Morrendo estou na vida, em morte vivo; / vejo sem olhos, e sem língua falo; / e juntamente passo glória e pena.”, Camões

arte

João Eduardo Severino

Create Your Badge

a frase

"A vida é muito curta para termos inimigos"
Ayrton Senna

Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

favoritos

Quatro anos depois

pessoalmente

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

cv

Jornalista com a Carteira Profissional nº 278. Já restam poucos do meu tempo. Como último cargo fui director e proprietário do diário 'Macau Hoje'. Pode ler o meu CV completo na primeira mensagem de Outubro de 2007.

subscrever feeds

tags

todas as tags