Segunda-feira, 26 de Março de 2012

GARATUJAS (48)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

CHAMPÔ, ARTE E JEROPIGA

 

    »  FUNDAMENTALISMO NO BANHO 

Tanta coisa que pode ser recordada para que não volte. Com champô, vinho ou outra mistela qualquer só se deixa infiltrar quem quer, e á medida da própria cabeça ou paladar.

 

           »  NUNCA FOI REFÉM

A obra do inesquecível Zeca Afonso é universal. Apreciar-lhe esse talento não está reservado aos que sempre o quiseram capturar na política.

 

           »  UNIDADE OU UNICIDADE

               Qualquer problema de sindicalismo mal artilhado venha  de onde vier, recai sempre sobre  os  trabalhadores. Um dirigente sindical        

               pode utilizar todos os argumentos, menos o de que os outros se não estão também não fazem falta. "Se conduzir não beba".

 

por João Severino às 10:37
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sábado, 24 de Março de 2012

GARATUJAS (47)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

CHAMEM A POLÍCIA

 


> É sempre de lamentar quando é o justo a pagar pelo pecador. Mas não sejamos inocentes ao ponto de pensar que não há muitos interessados em que o rastilho pegue e a coisa descambe para a desordem generalizada. E diria mais ainda, não convém descartar  respeitáveis figuras, até com estatuto institucional, que poderão espreitar na sombra e com agrado este tipo de ensaios para proveito próprio nas malhas de qualquer confusão que viesse a ter lugar. Basta que se sonhe com  condescendência da autoridade dixando engrossar a onda, para que se forme o salto da cerca no aproveitamento do "quanto pior melhor" como expoente expressivo de forma de vida com que se besuntariam em suculento manjar. Genuinamente devem reprovar-se acções que provoquem danos colaterais, mas cuidado com os que mostram baba e ranho, e que  apenas estão de atalaia para extorquir benefícios da mesma natureza.

 

 

por João Severino às 11:11
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 22 de Março de 2012

GARATUJAS (46)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

IMPOSSÍVEL RESISTIR A TAL DESAFORO

 

"O PS considera estranho inquérito-crime tendo como único alvo ex-ministros de Sócrates".

 

ZURRADA:


Zorrinho não está impedido. Avançe com o resto que saiba, ou para além de eventual envolvimento, também será conivente com outras fraudes que conheça e cale.


por João Severino às 15:42
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 21 de Março de 2012

GARATUJAS (45)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

COICE POÉTICO PARA O DIA


MERCO BESTA CORRIDA ABAIXO DE MEIO SALDO DE MULA MANCA
A ARRASTAR O ESTRIBO ALBARDA CAÍDA COM CILHA FOLGADA
OSSADA BICUDA A FURAR A PELE TRASEIRA TODA EMPENADA
CABRESTO AOS NÓS DE CORDA ROÍDA QUE OS ABANOS DESANCA


MOSCAS NO LOMBO PRONTAS AO NINHO ATRÁS DAS ORELHAS
AOS SOLAVANCOS SOLTANDO SONOROS IMUNDOS A CADA PATADA
CASCOS MOÍDOS FEITOS EM FARELO SEM CANGALHAS AMARRADAS
LÁ VAI RUMINANDO A PALHA CURTIDA DE GASTAS GORPELHAS


PÊLO SUMIDO ENSEBADO BASTA AJEITAR-LHE OS SARILHOS
REBARBAR-LHE OS CASCOS P´RA LHE CALÇAR UNS MEOTES
QUE DE CRINAS ASSOVELADAS ENSAIA LOGO UNS PINOTES
NO ARRASTO DO CHOCALHO O ESTAFERMO FOGE AOS TRILHOS


DENTE ARREGANHADO COR DE FENO E CATA-VENTO NO RONCAR
O FEDOR PODRE QUE EXPELE DE TANTA NÉVOA NEM CHEIRÁ-LO
NÃO NOS CONTAM OS ARREIOS SE HÁ BURRO, MULA OU CAVALO
MAS HÁ EM QUALQUER FERRADURA PRONTO COICE PARA DAR.

 

 

 

por João Severino às 10:09
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 16 de Março de 2012

GARATUJAS (44)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

SEGUNDAS BOLAS

Comentadores profissionais do jogo da bola, afinal não passam de primeiros especialistas em prognósticos no fim dos jogos. Dão-se ao luxo de antecipadamente descascar ao milímetro uma partida que ainda não foi, e depois, em cada lance ou canelada vão apalpando fragilidades e estatutos superiores virtuais, que acabando por ruir logo os faz mudar de dicurso como quem passa a outro cigarro.  Esquecem pacoviamente que é durante os 90 minutos que o pau vai e vem, mas nem se coçam com os disparos de rajada que lhes vão saindo pela culatra. A fazer fé em tais artes feiticeiras, até o tempo de jogo seria dispensável dada a ciência exacta que em profusão não se cansam de debitar.

No mundo dos futebóis, o topo do mérito vai inteirinho para o raio a bola, e o fundo pantanoso para a chusma palradora que se despista e atropela a cada apitadela. É vê-los durante uma partida a despejar sábias cuspidelas, onde não faltam sentenças de morte para quem lhes caia na parcial alçada, e quando o sentenciado e precoce moribundo se ergue para ganhar, sacam bruxarias da cartola com a destreza de carteirista, mudando num ápice o discurso sem avermelhar de vergonha.
Apanha bolas verdes de raiva, humilhem-se.

 

por João Severino às 10:58
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 15 de Março de 2012

GARATUJAS (43)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

"ENTRE QUEM É"

 
> Era assim em Trás-os-Montes quando se batia a qualquer porta. Agora, nos píncaros da modernidade, já se recusa assistência hospitalar perante um episódio de emergência máxima por não haver lugar disponível em contagem provávelmente desactualizada. Na saúde como na doença, o noso País está a abarrotar de atrofiamento mental e de imbecilidade, já não restando assentos vazios no reino de tanta estupidez. Com lamentável e sinistro topo de expoente, tanto do lado de quem manda encerrar serviços de saúde essenciais, como de médicos que alegam não ter vagas para acudir numa emergência de máxima gravidade. Se um desses doutores fosse ocasionalmente a passar no local de uma ocorrência em que uma pessoa mais antiga é vitima de uma acidente vascular, seria aceitável que não prestasse socorro no momento, fugindo dali aduzindo não ter vagar? Esta obrigação primária, não podendo nem devendo ser negada em plena rua, muito menos será aceitável numa unidade de saúde independentemente da contabilidade das vagas. Uma intervenção expedita de primeiro socorro, pode significar a diferença entre o cumprimento de um elementar dever  que pode salvar vidas, e um acto criminoso por grosseira omissão que colabora na aviltante condenação á morte.

 


por João Severino às 16:45
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 14 de Março de 2012

GARATUJAS (42)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

MANDÁ-LOS FODÊ-LOS

> Gasta-se tempo e dinheiro com pentelhos atravessados, como a fé da ministra, a demissão de um secretário ou as contas enganadas de uma ponte.
Porque raio de arte agiota os gordos e devotos investidores gamam dividendos nos eternos lucros, e os pagantes forçados que somos nós só são convocados para engordar a porca com fundos perdidos muito para lá do que consomem, sem nunca mamar, seja nos pingos das torneiras, ao sacudir a mangueira do gasoil, ou no galopante somador de kwh`s ?
Exigindo-se esta simples explicação, que saia então a terreiro alguém de um exército habitual de entendidos que nos consome dinheiro e paciência.
O que diz a constituição, e o presidente, e os tribunais, e os jornais e comentadores, e os economistas, e os especialistas de todos os entulhos, e o senhor dos passos, e o dos passos inseguros, e o gaspar e o álvaro, e toda a casta dos mexias dos monopólios que merdam á nossa custa? Temos que lhe arrancar a barba.

NÃO DESENCAVAR O PAU ATÉ QUE SE VENHAM EXPLICAR

 

 

 

 

PAU COMMENTS

 

De Marão a 14 de Março de 2012 às 15:17
Última fresca e boa: "Luso Ponte pede indemnização ao Estado
de 100 milhões".
Requisição civil ou raio que os parta, ou então nacionalização imediata com rifa ao desbarato dos respectivos gestores, e julgamento imediato dos governantes irresponsáveis que ainda não emigraram, e mandado internacional de captura para os fugitivos.
por João Severino às 14:49
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Terça-feira, 13 de Março de 2012

GARATUJAS (41)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

O PAÍS NUMA BOLA

> A confirmar-se que não desce ninguém na Liga do Futebol está atingido o ponto da legitimidade para a revolta. Foi maquiavelicamente ignorado um principio de honra elementar e fundamental, de que encolhimentos e alargamentos só poderiam produzir efeito antes de iniciada a época a que digam em que tal se verificaria. Alterar regras com jogo a decorrer com a agravante da proximidade da recta final, constitui e assume em qualquer actividade contornos de escandalosa batota. Ainda assim, se vincados na mancha de pecado original e a vingar o alargamento, não podem ser ignoradas as legítimas expectativas de quem se bateu para subir, em benefício de quem estaria obrigado a perseguir a manutenção até ao apito final do último encontro.

O lado desportivo e competitivo ficará ferido de morte, porque os diferentes escalões não são ilhas estanques e isoladas, antes fazem sentido pela interdependência entre eles, em função das articulações que comportam e das disputas a que obrigam. Com  definição das regras por antecipação ao início das provas onde as alterações produziriam efeitos, não teria esta gente a ousadia de ordenar, vão lá cumprir todo o campeonato que ninguém desce.

Por maioria de razão essa determinação está agora completamente vedada, á luz elementar do direito, que condenando crime mais elaborado e bem parecido,  não deixa de penalizar o mais abusivo e grosseiro. Não deixa de haver jogo sujo, lá porque é prática corrente entre os jogadores manipularem cartas viciadas quando assentam os cotovelos em banca de pano sebento. Aqui do PAU fica com todo o vigôr erradicada qualquer  hipótese de tal ultraje á moral e aos costumes, decretando-se em conformidade linear e inapelável impedimento para tal grosseria.

 

 

 

 

 

 

 

por João Severino às 09:59
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 12 de Março de 2012

GARATUJAS (40)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 "QUO VADIS", COM  ESSES PASSOS 

» Os sacrifícios são para dividir por todos, mas continuam
a multiplicar pelos mesmos.
» Dizem que nos cortes não há privilégios nem excepções mas
apenas adptações.
» Atiram-se ás pobres das freguesis em estético corte  de unhas
sem lavar mãos nem pés.
» Descentralizar, conferindo ás Cãmaras depois de racional
reestruturação, com mais
 competências e autonomia deve ser para ir arrastando
porque não encaixa com uma
 regionalização apenas pensada para satisfazer apetites de
clientelas partidárias.
» Constituição, lei eleitoral e menos deputados mas ligados ao
eleitor, são velhos papéis
 perdidos no arquivo CAI-Como Acabar com Isto.
»Também não faltam os aconchegos para amigos e famíliares,
desde a lembrança de
parceiros de escola, passando por  fraternais manas de
ministério, até a bom exemplo de armonia conjugal em Direcção
que nos trata da saúde.    

TODOS SÃO PRIMOS E PRIMAS E QUE PARECIDOS QUE SÃO

 

por João Severino às 14:28
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 9 de Março de 2012

GARATUJAS (38)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

HOMEM DO LEME AO MAR 

Tanto tempo "ao longo do tempo" e fora de prazo. Um tira nódoas mais amarelecido que as própria manchas ainda bem frescas. Por uma vez, que me lembre, dou razão a este malfadado PS, neste desfilar de reações acutilantes. Um Presidente com efeito retardado que diz ter acolhido e convivido com trauliteira deslealdade, bem merece agora o repúdio dos consentidos desleais de ontem. Há manchas que não saem, e ao contrário alastram quanto mais se esfrega em carcomido pano . Um avanço precoce nas memórias, que a razão se apressa a  condenar e o país enfastiado dispensa.

 

por João Severino às 21:40
link do post | comentar | favorito
| partilhar

GARATUJAS (37)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 

 

O HOMEM DO MALHO


 

O «medo» de Cavaco e o «veneno» de Passos Coelho

 

Santos Silva diz que primeiro-ministro saiu a ganhar por ter enfrentado manifestantes Augusto Santos Silva elogia a forma como Passos Coelho reagiu aos protestos em Gouveia. Na TVI24, o socialista defendeu que o primeiro-ministro contrastou com o Presidente da República numa altura em que existe uma «guerrilha surda» entre os dois órgãos de soberania.Sobre o facto de o primeiro-ministro ter dito que o Presidente da República precisar de ser fortalecido, Santos Silva diz que foi uma forma de falar «venenosa, da ironia fina».


Paulada de ferro quente:

Caceteiros. O governo PS em vez de guerrilha surda investia à pedrada. Sem vergonha nem decoro.

 

 

 

 

«Vítor Gaspar tem uma nova linguagem técnica»

 

 

Augusto Santos Silva garante que o ministro das Finanças já está a prever um reajustamento no programa de ajuda externa. Augusto Santos Silva comentou a conferência de imprensa do ministro das Finanças, garantindo que Vítor Gaspar está à espera de «um momento mais favorável» para renegociar o programa de ajuda externa com a troika.«O que ele espera é que a iniciativa parta não dele mas da troika e que esse reajustamento se faça num momento mais favorável para Portugal, ou seja, num momento em que o país já tenha o cumprimento dos compromissos exemplar do ponto de vista da troika», acrescentou.

 

 

Paulada de Ferro quente:
Descobriu a pólvora. Todos sabemos que essa hipótese nunca deixou de ser considerada, não obrigando necessáriamente a cair na asneira grossa de a andar a badalar por aí. Será que acompanha o líder do seu partido na consideração de que mais uma avaliação positiva da troika foi nociva para o País? Antes de eventual patamar de reajustamento tem que ser demonstrado ao credor que se cumpre com as obrigações a que nos comprometemos. "Momento mais favorável" claro que sim Senhor Doutor Santos Silva. Ou achava melhor passar pela vergonha de ser caloteiro e depois pedir nova esmola? Vê algum mal se a iniciativa caso venha a acontece seja do lado troikana?

 

 

 

«Uns tratados como filhos, outros como enteados»

 

 

Crítica de Augusto Santos Silva na TVI24

Augusto Santos Silva defendeu esta quarta-feira na TVI24 que o regime de exceção aplicado aos trabalhadores da TAP no corte de subsídios de férias e Natal faz muito gente pensar que «os sacrifícios não valem a pena».

 

Paulada de ferro quente:
Uns e os outros. De antes a má memória dos aconchegados filhos, agora tomados de refresco instantâneo e feitos enteados chorões.

 


por João Severino às 10:54
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 7 de Março de 2012

GARATUJAS (36)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

CONSTANÇANDO  (TVI 24)


«Hoje é o dia dos amigos» do ministro da Economia»


Pau duro:
Amigos como compensação para os inimigos de todas as horas. Se nada alteram é porque persistem no erro da descordenação, se indiciam mudar alguma coisa é porque estão em desvalorização. A D. Constança então valoriza com forte intervenção em mercado especulativo. Vá lá um pastel do Álvaro.

 

 «Só falta tirarem o pastel de nata ao ministro»

 

 Pau duro:
 Esta Senhora não tem profundidade para ir além da crosta estaladiça de um pastel.

 

 

 

 CÂNCIANEIRO  (TVI 24)

«Passos disse a Cavaco para meter a viola no saco».
Câncio falou ainda sobre as escutas a Sócrates publicadas no «Correio da Manhã», assegurando que «isto é assustador».


Pau duro:
Não se assuste.  Ou está incomodada porque a tesourinha articulada não chegou á fita magnética? O visado não se importará de explicar o texto e contexto que a Senhora Jornalista tão prestimosamente veste e reveste no seu comentário?


«As escutas são violações gravíssimas»


Pau duro:
Já Cância de tanta privacidade para a forma como são execidos cargos públicos de que temos o direito de saber as contas.

 

 

por João Severino às 22:30
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 5 de Março de 2012

GARATUJAS (36)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

APRENDER A TABUADA

> Há quarenta ou cinquenta anos, os iletrados estruturais da época faziam questão em exibir uma caneta no bolso do casaco como enfeite, mas não sabiam escrever. Hoje, seria fundamental, por exemplo, que não se enfeitasse a ignorância com máquinas de calcular, e fossem mesmo proibidas nos quatro primeiros anos de escolaridades até que se aprendesse a tabuada , que o computador não passa de uma excelente ferramenta de trabalho dos nossos dias, mas que não se substitui ao saber e competências, e não disfarça nem elimina a propagação do analfabetismo funcional. O desatre da aprendizagem fica sempre desnudado, quando se torna necessário fazer uma redacção, exprimir uma ideia, preencher um formulário, saber onde corre o rio Minho, transmitir uma informação, perceber um recado, identificar um aviso ou encaixar sem decalque os elementos de uma construção. O simples papel químico para uma cena ou o decorar rígido de um papel não exercitam nem agilizam o cérebro para uma curva mais apertada, das que sempre se apresentam inesperadamente no mais planificado caminho que se possa traçar. Em resumo, tudo se complica quando pela lei da vida, somos forçados a sair do casulo onde nos induziram a mergulhar de olhos vendados, como se o horizonte terminasse nas paredes da nossa escola, na rua da tendeira do chupa-chupa, ou no fim da linha do autocarro do costume.

Nota: Já me tinham publicado isto antes em qualquer lado.

 


 

por João Severino às 16:09
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 1 de Março de 2012

GARATUJAS (34)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

NOTÍCIAS COM GRIPE

 

»»» "Detesto dizê-lo, mas não faria as coisas de forma muito diferente daquilo que está a ser feito agora." Sabe quem disse isto, ontem, referindo-se à acção do governo português? Muita gente vai detestar sabê-lo, mas foi Paul Krugman. - Luís Campos Ferreira

 

Paulada fresca:

Há quem deteste tanto ao ponto de não ter ouvido. Se for apenas por criancice Seguro está desculpado, mas é urgente tirar-lhe o brinquedo.

 

                                         

 

»»» "Presidentes não são líderes religiosos" - Santana Lopes

 

 

Paulada fresca:

Da incubadora à pregação. E os primeiros-ministros não são bebés-chorões.

 

                              

»»» PS acusa Passos de estar de costas voltadas ao país.

 

 

Paulada fresca:

Seguro, o puto brincalhão nem de costas nem de frente. Lá vai patinando e rastejando sempre de lado para o país.

                                          

 

»»» PSD exige investigar nacionalização de Sócrates. - DN

Os socialistas querem avançar com uma comissão de inquérito potestativa ao caso BPN


Paulada fresca:

Tomem lá e tratem-se

 

 

»»» E O PREÇO É IGUAL PARA TODAS - PPTAO


Paulada dobrada:

O Costa da Mouraria. Repesque leis do tempo de Salazar. Ó pautas quem leva a guia? «Safe house » será calão da praça do município? Chame-lhe nomes.

 


por João Severino às 12:00
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (33)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

A GRIPE DAS NOTÍCIAS


»» "Passos já culpa Sócrates pela austeridade"- TVI24

      

Paulada fresca:
       Nem precisa. A não ser que o povão nem tenha reparado nos números de circo do artista que deixou a tenda a abanar.
..



»»"Passos quer menos deputados, voto preferencial opcional"- Sic N

      

Paulada antiga: 
      - Sistema eleitoral que contemple conjugação com círculos uninominais
      - 99 a 180 deputados no máximo, e acabar com os votos em manada na AR.
      - Ninguém deve poder concorrer fora do distrito ou concelho onde resida ou exerça actividade regular pelo menos nos últimos três anos.      
        Válido para autarquias. 
      - Todos os concorrentes e eleitos pelo menos para os mais altos cargos, só portadores reconhecidos de bom comportamento moral e  
         cívico, com submissão obrigatória a testes de apuramento de efectiva idade adulta e comprovada sanidade mental. 
      - Acabar com o exclusivo das ditaduras partidárias (onde os medíocres afastam os melhores para sobrevivência indigente) na    
          participação  e representação política do País, deixando espaço para iniciativas da sociedade civil poder ter participação e    
          representação  efectiva, nomeadamente, na AR.

     - Considerar representação política fora da alçada dos partidos, nomeadamente, no parlamento, começando por      
       contemplar  o  direito a assento por inerência a representantes de organizações sindicais, patronais e outras não estatais     
       com  expressão efectiva na sociedade, e ainda representação por profissões como operários, engenheiros, médicos,   
       professores, .................
     - Da obediência aos partidos só entraria gente por eleição mas com ligação efectiva ao eleitor. Regra dos 3 x 33 = 99  
       deputados. 1/3 Por inerência para autarcas, 1/3 ainda por inerência aos grupos e profissões atrás assinalados e, finalmente,  
       1/3 para eleitos em nome dos acantonamentos partidários.
     - Deixar uma cota ainda que residual para representação dos considerados analfabetos estruturais à antiga, que se ainda  
       existirem facilmente podem provar que muitas vezes possuem mais cultura geral e conhecimentos de vida de que muitos  
       doutores novos que por aí passeiam ignorância.
         -Reformular o conceito de abstenção, não a confundindo com insondáveis razões de ausência nas urnas. Criar um campo 
          (X) para esse efeito em cada boletim de voto Esta intransmissível, pessoal e inconfundível opção merece e deve exigir  
          a dignidade de voto validamente expresso. Uma civilizada, consciente e ponderada escolha obrigada a ficar na rua
         em vala comum de incertos? Os nossos deputados, na Assembleia da República, apesar da aviltante disciplina  
         partidária a que se submetem, para se abster tem que marcar presença. Ponham lá uma cruzinha para a abstenção,   
         para quem queira.

 

»»"Cavaco alerta para a austeridade sobre os novos pobres"-TVI 24

 

Paulada fresca:
 Na tropa, o corneteiro também avisava, fazendo soar o clarim, mas não era ele quem comandava...

 

 

»»"Vítor Gaspar tem uma nova linguagem técnica" - Santos Silva

 

Paulada fresca:
Descobriu a pólvora. Todos sabemos que essa hipótese nunca deixou de ser considerada, não obrigando necessariamente a cair na asneira grossa de a andar a badalar por aí. Será que acompanha o líder do seu partido na consideração de que mais uma avaliação positiva da troika foi nociva para o País? Antes de eventual patamar de reajustamento tem que ser demonstrado ao credor que se cumpre com as obrigações a que nos comprometemos. "Momento mais favorável" claro que sim Senhor doutor Santos Silva. Ou achava melhor passar pela vergonha de ser caloteiro e depois pedir nova esmola? Vê algum mal se a iniciativa caso venha a acontecer seja de iniciativa troikana?

 

»»"Escutas a Sócrates agora publicadas, isso é assustador" - Fernanda Câncio

 

Paulada fresca:
Não se assuste. Ou está incomodada porque a tesourinha articulada não chegou á fita magnética? O visado não se importará de explicar o texto e contexto que a Senhora Jornalista tão prestimosamente veste e reveste no seu comentário?

 

 

por João Severino às 15:52
link do post | comentar | favorito
| partilhar

GARATUJAS (32)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

ETIQUETAS VICIADAS 


> "Os idosos fazem falta e podem ser aproveitados?"- é carimbo revelador de mentes perversas e razões distorcidas. Uma introdução de tema de forma  preconceituosa, que só pode continuar a pulverizar e envenenar a sociedade.

"Demonstrar utilidade" é como ameaçar remeter as pessoas menos jovens para uma avaliação típica de cuidados ambientais a cargo de ETAR's ou de incineração em cimenteiras com filtro na chaminé.

Todos devem ficar a saber quem plantou antes para nos oferecer, as castanhas, o azeite ou o vinho com que nos vamos alimentando. Vista a situção nos termos que se propõem, seria então lícito perguntar, que falta faz ou para que pode ser aproveitada muita da chamada juventude que por aí vagueia.

Pessoas mais antigas e maduras claro, que idosos mentais, descontada a falácia do bilhete de identidade temos que bonde entre a badalada juventude. Capacidades, conhecimento e motivação a valorizar, sem que falte apoio nas fragilidades seja qual for a idade, é  exigência permanente sem guetos pré-definidos.

Temos "velhos" com 30 anos e "jovens" com mais de 80.

 

por João Severino às 09:36
link do post | comentar | ver pauladas (4) | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (31)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

TARDE E MAL

PGR: "não se consegue cumprir lei de combate ao crime"

Pinto Monteiro deu a conhecer ao Parlamento a incapacidade do Ministério Público para executar as prioridades de investigação impostas por lei.

 QUEBRA ARESTAS:
Ou quando um sorrateiro não quero, pesa mais que um enfastiado não posso. Incompetente exposto, que as prioridades são sempre para se fazer executar sem furar a lei. Bastaria para tanto, que tivesse cuidado de ir desmontando a pirâmide da fraude a partir do topo, em vez de se refugiar num opaco e esquinado cubo de miudezas.

Prioridade máxima ao seu adeus.

 

 

por João Severino às 11:06
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sábado, 25 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (30)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

ROSCANDO 

"Parlamento decide manter discriminação na adopção"

 

 

> A coisa nasceu torta por linhas tortas logo de início, com a febril aberração de proclamarem constituir casal a junção de duas pessoas do mesmo sexo. Claro que deve ser reconhecida a legitimidade da opção, usufruindo de direitos civis e fiscais logo que declarada a união. Até nas coisas da mecânica um parafuso só pode acasalar com uma porca, e num armazém, a reunião de um conjunto de peças iguais só pode ser um atado, um balde ou uma palete.

O imbróglio começará a compor-se quando lhe chamarem por exemplo, laço, junção ou parelha.

 


 

 

por João Severino às 10:37
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (29)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

MEMORIAL DO SONOLENTO

  
> Alegre não descobre os cheques, Lelo não faz ideia do que é comunhão de bens, Santos Silva não sabe o que tem na carteira. O Ricardote não acha os gravadores, o fax de Macau evaporou-se, Cravinho perdeu-se nas scut's.  

Navegam beatos no acto de fé de Matosinhos com  Seguro a nunca mais aprender a ler, escrever e contar.

E no retiro da mixórdia ninguém repara na  farta herança de Sócrates.

 

por João Severino às 10:20
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (28)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 

 

 

 

 

 

ARMÉNIO ARMÉNIO

 

«Se a UGT não quer entrar, é um problema deles»

Enternecedora noção. E eu a pensar que qualquer problema de sindicalismo mal artilhado, venha lá de onde quer que venha, recai sempre sobre os trabalhadores. A imunidade de Arménio a vícios de pecado a todos salvará.

 

 

 

 

 

LUTAS OU DELÍRIOS?


Oposição aplaude greve, agradece e faz foguetório por cima de mato seco, apenas porque muita dela está ávida de poder reinar sobre destroços, que  para alguns é mesmo apetitoso sustento e enraízado modo de vida. Ou a arte sinistra de criar, condicionar e arrastar por cansaço tropas famintas e maltrapilhas, dispostas a obedecer a qualquer novo, ainda que corroído salvador. O meu lamento por tal desconfiança e pessimismo que agora me assalta, mas o estado febril que vem sendo revelado pelo comando das lutas e de quem delas sempre aproveita, sugere alguém a querer mostrar serviço para celebração e justificação de novo e exuberante posto.

Parece que foi tomado o paladar, a que só com um valente abanão pode fazer arrefecer tentador uso e abuso deste pontiagudo brinquedo que lhe caíu nas mãos, mas que pode aleijar mais que divertir também quem estiver por perto. Os trabalhadores até costumam aderir a lutas, confiar nos seus representantes, e dificilmente vergam perante dificuldades. Mas uma reacção,  activa ou passiva, ainda que forjada no subconsciente, se generalizada, pode deitar tudo a perder desde que se instale o pressentimento de que existe uso e abuso para ornamento e exibição de reluzentes medalhas pessoais. Será que não estamos a desperdiçar munições, confundindo tiro aos pratos de recreio com caça grossa de época?

     
por João Severino às 10:48
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Sábado, 11 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (27)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

A TROIKA E A TRETA


> Somos especialistas em autoflagelação. Ainda que o governo possa admitir a possibilidade, mesmo que remota de recorrer ou aceitar a revisão do memorando não tem que o divulgar publicamente. É de uma insensatez estonteante brandir armas contra uma troca de impressões de corredor que não compromete o nosso desempenho e em que nenhuma das partes ficou obrigada ou diminuída.

Independentemente de qual dos senhores tenha provocado a abordagem, o nosso ministro das Finanças só pode registar com agrado tal abertura. Nada autoriza a concluir que o ministro pôs em causa ou desistiu do cumprimento do acordo. Outra coisa bem diferente será considerar que face a evoluções que possam vir a perfilar-se, concluir ser vantajosa uma reformulação que se mostre benéfica para os portugueses. Cansa de tanta infantilidade e sofreguidão em permanente caça às bruxas, sempre seguindo modas ou permanecendo cegamente em obediências de barricada.

A mania das grandezas, que só nos empobrece e paralisa.

 

por João Severino às 15:47
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (26)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

> Da primária para novas oportunidades só em laboratório de idiotas.

Demonstrações de políticos adiantadamente infantis seguem a qualquer hora na sua televisão.

 

por João Severino às 11:24
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (25)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 

O MURO CAÍU

Em declarações à TVI24, a presidente da Câmara de Setúbal confirmou a vinda do LNEC ao local e deixou ainda um apelo: «Quem não tem habilitações científicas não fale. Ainda ninguém sabe por que isto caiu».
Entretanto a líder autárquica setubalense falou.
Como é que a senhora presidente da Câmara avança que foram cumpridos todos os requisitos de segurança no caso concreto antes das conclusões dos inquéritos ao acidente registado? Sem falar demais, que não pretendo fazer o papel de amigo da onça, deixo aqui por pura curiosidade uma prévia e inocente pergunta: Qual a inspecção mais recente anterior ao acidente efectuada pela ACT?

 

por João Severino às 15:30
link do post | comentar | favorito
| partilhar

GARATUJAS (24)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

PIEGUICES


> A oposição acaba por dar razão a Passos Coelho, quando de um discurso lúcido, transparente e adulto, retira de forma maldosamente piegas, infantil e oportunista, uma palavra mais sonante, dita, diga-se, em tom bem amigável, mesmo brejeiro, e despida de qualquer ironia maldosa ou ofensiva.

Se é o que lhes resta para uma contestação credível e escorreita, revelam que não podem ou não querem coçar onde é preciso. 

Asfixiante o coro choramingas de pecadores oposicionistas e opinadores entaremelados que temos visto desfilar de forma esganiçada e superficial. Se apressadamente remetem para plano secundário tanto material seriamente penalizador, para dar caça ao coelho por efeito de um pentelho, o que esperam que nós esperemos de tais encenações indigentemente pacóvias?

 

 

 

por João Severino às 10:48
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (23)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

A COISA DO ESTADO

 

> Os senhores deputados, gostem ou não, têm que ser os primeiros a ir trabalhar na casa onde prestam serviço público pago por todos nós. Desavergonhadamente, ainda vão em conferência de líderes decidir se irão ou não trabalhar no Carnaval. De um modo ou de outro, estão dispensados nesse dia de usar as habituais máscaras para cuidar de higiénica desinfecção. Fica declarado que em caso de fuga a esta elementar obrigação, supostamente para nos representar e que escolheram por vontade própria, e se ficarem em folias fora do Parlamento, não lhes pagaremos o dia.

por João Severino às 16:36
link do post | comentar | favorito
| partilhar

GARATUJAS (22)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 

 

PRESIDENTE EXTRAVIADO


A CPLP tem de descer à rua», diz Cavaco

Presidente da República defendeu que cada país deve prestar mais atenção à sua sociedade civil

Depois queixe-se, meteu a foice em seara alheia, em algo que não lhe diz respeito, não  lhe cabe e não  lhe pertence. Mais uma vez disparatadamente desastrado. 

 

 

por João Severino às 14:55
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Domingo, 5 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (21)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

NA FRENTE DO CORSO
 

> O tal evento de abertura judicial substituiu, antecipando-se, com confrangedora vantagem ao corte no dia de tolerância carnavalesca. Uma vergonha de País quando permite ao detentor de um alto cargo de soberania da justiça um discurso tipo mercenário andrajoso de esconderijo inquinado.

Abordagem isenta, pode remeter a lei para plano abaixo de transparente legitimidade, e quantas vezes a norma protege mais irregularidades que aquelas que condena, pretendendo mesmo proteger "direitos adquiridos" frequentemente resultantes de linhas sinuosamenta tortas.

 


por João Severino às 11:22
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012

GARATUJAS (20)

 

 

 Pau de Ferro

colaborador

 

> A propósito do recente Garatujas (16) - Correio directo à Presidência da Assembleia da Repúbica -, a propósito de sugestões enviadas para efectiva participação civica e política dos cidadãos na vida do País, bem como pontos fulcrais para alterações necessárias à actual e desajustada lei eleitoral, parece acertado registar com agrado o facto de ter sido obtida resposta em termos que indiciam que  o assunto não ficou esquecido face ás acções que se referem na respectiva resposta.

 

 

Aqui fica o agradecimento à Excelentissima Senhora Presidente pela atenção prestada e pelo  encaminhamento solicitado. Deixo agora á consideração do nosso considerado director se deve o "Garatujas 16" para aqui ser repescado de modo a  figurar em conjunto com o documento de resposta às questões elencadas. 

 

por João Severino às 20:58
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (19)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

CRISE QUAL CRISE

 

> E o circo das cimeiras continua. Esta cena foi toda minuciosamente preparada pelas altas esferas do Ocidente para amedrontar e manter em sossêgo as populações, sem fôlego para decifrar uma aviso tão sofisticado e bem embrulhado: Regressem ao vosso mundo que não podemos ser todos ricos. A coisa foi de tal maneira preparada que só começará a levantar quando se certificarem que estamos todos carregados de medo, para nem de fininho nos atrevermos a piar. Trabalhar voltará, então, a ser uma benção divina, redentora e mal paga. 

 

 

 

por João Severino às 18:45
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Sábado, 28 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (18)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

MORTES NO TUA - EDP AVANÇA  

> Se o dono da obra antecipa apressadamente a probabilidade de deslizamento fortuito, para quê a multiplicação de inquéritos? Tanto mais que quem está envolvido no topo da cadeia de obrigações para garantias de segurança, deve [por dever de cuidado] abster-se de emitir juízos antecipados e precipitadamente, com a consciêndia do risco de influência, ainda que involuntária, por condicionamento da acção dos investigadores. 

Convém dizer, sem que isto constitua qualquer intenção malévola na procura de defeitos e responsabilizações, - e com o devido respeito pelas entidades executantes e fiscalizadoras -, o seguinte:

Estas coisas trágicas só não acontecem a quem está de fora e distante, o que não impede uma opinião que visa com propriedade, considerar  a ocorrência também como lição para prevenir potenciais e semelhantes situações de risco futuras.

Como mera hipótese de trabalho, também não pode ser excluida a possibilidade de não ter sido a máquina e as vitimas mortais a serem arrastadas por desprendimento natural e consequente deslizamento de pedras e rochas, mas ao contrário, tal desfecho poder ter resultado não só do descalce dos maciços rochosos provocado por eventuais operações de escavação a nível inferior, mas também pelos diferentes rebentamentos muito tetemunhados, que podem ter influenciado progressivamente a instabilidade dos terrenos já de si precária.

Perante a tragédia (elas acontecem sem aviso instantâneo), é importante estudar causas, avaliar se alguma coisa poderia ou deveria ter sido feita antes, e corrigir de imediato aquilo que se afigure poder ter sido negligenciado, prevenindo por antecipação situações semelhantes, e não priviligiar derivas  para a descoberta tenaz de responsáveis, que só farão sentido se associadas ao apuramento das respectivas causas.

Às famílias enlutadas apresentar sentidos pêsames e não dificultar o direito a reparação desconsoladora.

 

 

por João Severino às 19:15
link do post | comentar | favorito
| partilhar

GARATUJAS (17)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

CORAGE

 

> Antes de mais, nada de surpreendente com a Madeira, que apenas acompanha o contnente na sofrida perda de soberania. Ainda assim, com mais dignidade, que a respectiva dependência é inteira para com o seu país. Polémico quanto baste graças a Deus, ainda ninguém apontou o dedo a Jardim de se ter abotoado em proveito próprio.

Se Alberto João tivesse sido melhor aproveitado bem cedo como primeiro-ministro de Portugal, muita gente nociva que por aí merdou nem sequer tinha sido tolerada e mantida no caldeirão da desgraça para que nos conduziram. Nem se demitiram nem corremos com eles, e até permitimos que agora saiam a terreiro com receitas para nos tirar do buraco que ajudaram a cavar.

Notável o discernimento, franqueza e capacidade de decisão que o líder madeirense demonstrou ao explicar o inadiável pacote para a sua Região. Por cá, os paroquianos vão-se contentando com os passes de mágica das respectivas irmandades, quer rezem em grupo perfilado e obediente, quer preguem de púlpito para os sempre curvados crentes. Nem que seja pelo gozo de ser contra a corrente e de chatear os seguidores de todas as modas, aqui fica, como diz o outro.

 

por João Severino às 15:05
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (16)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

CORREIO DIRECTO À PRESIDÊNCIA DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

 

 


Para: Gabinete da Presidente
Âmbito: Sugestão

Mensagem:
Tomo a liberdade de sugerir a Vossa Excelência que faça circular pelos diferentes grupos parlamentares para verificar se chegam a acordo para que a seguinte matéria que captei no DN, possa ser debatida em plenário. Passo a trancrever com o modo como o comentador se identificou:
A raiz da partidocracia-1) Desde a instauração da "democracia", a qualidade dos partidos em Portugal tem caído constantemente, estando hoje ao nível do lixo. Os portugueses não têm controlo sobre os seus políticos. A "casa da democracia" é na realidade a casa da partidocracia. O chamado "julgamento nas urnas" é um logro, pois os candidatos das listas perdedoras têm garantia prévia de que se mantêm no parlamento, duma maneira que não tem relação com a vontade dos eleitores. Na verdade, os eleitores nem sequer têm oportunidade de se pronunciar sobre os candidatos. Podem ser agentes secretos, maçons ou outra coisa qualquer, não interessa: a ida para o parlamento não depende do seu voto. A causa profunda do problema é a ausência do voto nominal no sistema eleitoral.
2) Os portugueses têm menos direitos democráticos que os outros europeus. As chefias partidárias fazem listas cuja ordem é essencial, mas é imposta. As listas não figuram no boletim de voto e é impossível votar num membro da lista sem os anteriores terem sido já "eleitos". Surgem os "lugares elegíveis", que dão aos candidatos dos maiores partidos a GARANTIA de que vão ser deputados, independentemente dos votos. Em cada eleição, o cenário é sempre o mesmo: semanas antes de ser deitado o primeiro voto, parte do elenco parlamentar já está decidido. Como não existe uma relação entre o voto e a atribuição dum lugar de deputado, os deputados NÃO representam os eleitores. Seguramente representam alguém, mas não é quem vota.
3) As consequências deste sistema são muitas e graves - (A) Os barões dos principais partidos vivem na impunidade. Sabem que não podem ser desalojados do parlamento pela via dos votos. Mesmo com baixas intenções de voto, têm muitos "lugares elegíveis" para onde se refugiar. Isto influencia o seu comportamento de maneira decisiva. (B) Corrupção: os lóbis contornam o eleitorado e agem diretamente sobre os oligarcas do parlamento para fazer valer os seus interesses. Na prática, são os lóbis que têm representação no parlamento, não os eleitores. (C) Cria-se um "fosso" entre cidadãos e políticos e um (forte e crescente) sentimento de desprezo e ressentimento dos cidadãos para com os políticos portugueses.
4)(D) A ausência de voto nominal bloqueia a renovação interna dos partidos. "Renovação" é uns serem substituídos por outros. É o papel do eleitorado dizer quem vai e quem fica. A maneira natural e democrática de conduzir a renovação é os novos políticos que têm mais votos ascenderem gradualmente às chefias dos partidos. Porém, como o sistema eleitoral impede os eleitores de expressar preferências dentro duma lista, o sistema está na realidade a impedir o eleitorado de exercer o seu papel na renovação partidária. Atualmente, as chefias partidárias eternizam-se e só os que têm o seu beneplácito sobem nas estruturas partidárias.
5) Não é por acaso que os políticos nunca falam do sistema eleitoral. Livres do escrutínio democrático, os partidos foram todos tomados por oligarquias que detém o monopólio do poder político. Com o passar das décadas, essas oligarquias partidárias capturaram não só o sistema político como o próprio regime e as instituições do Estado. A maioria dos problemas de demagogia, corrupção e desgoverno vêm daí, direta ou indiretamente. A imunidade da classe política permite também explicar porque razão a denúncia de situações ou atos escandalosos é geralmente recebida pelos seus causadores com indiferença. Desde que mantenham uma boa posição no partido, o pior que lhes pode acontecer é passarem os anos seguintes no parlamento.
6) Se analisarmos como as votações funcionam, percebemos que é injusta a ideia de que os políticos são maus porque os eleitores são maus, ou maus a escolher. Os eleitores até são bastante exigentes: o problema é que não dispõe dos meios para impor os seus padrões de exigência na seleção dos políticos. A maioria das opções democráticas são-lhes negadas pelo sistema eleitoral. Não podem dar força eleitoral a quem o merece, o voto branco não é tido em conta na atribuição dos lugares de deputado, não têm o direito de iniciativa legislativa, os referendos estão limitados nas matérias sobre que podem incidir, o parlamento pode bloquear uma iniciativa referendária, os ministros não têm de ser deputados, etc, etc.
7) Não é possível desbloquear a partidocracia portuguesa sem mudar o sistema eleitoral. Felizmente há uma maneira simples e que não altera o equilíbrio entre os partidos e sem círculos uninominais. É manter o atual sistema, mas dando aos eleitores a possibilidade de ordenar as listas através dum voto preferencial. As listas são incluídas no boletim de voto e os eleitores votam num candidato duma lista. Esse voto conta também como um voto na lista, de modo que o método de D'Hondt continua a poder ser usado exatamente como agora. O que muda é ordem de atribuição dos lugares de deputado, que passa a ser em função de quem recebeu mais votos. Nenhum candidato tem garantia prévia de ser eleito: passa a haver escrutínio.

Mensagem:
Excelência,

na sequência da comunicação ontem enviada, permita-me que adicione outras reflexões sobre o mesmo assunto em titulo, mantendo solicitação para conhecimento aos diferentes grupos parlamentares:
Tem estado em discussão no Parlamento a revisão do D.L. 17/2003 de 4 de Junho, pretensamente para agilizar o direito dos cidadãos a apresentar iniciativas legislativas. O tom geral observado tem sido de que se temos uma democracia representativa não fará sentido vulgarizar intervenção directa dos cidadãos. Entre as 5000 e as 35000 assinaturas tem decorrido uma abordagem tão fixamente situacionista, que em termos práticos conduziria a manter cerceada qualquer iniciativa de abertura á sociedade. Sem prejuízo de um qualquer método racional e equilibrado que configure com propriedade tal intenção, é de crer existir uma solução alternativa que não única, e que se afigura eficazmente simplificada: Se uma qualquer sugestão admitida a discussão não significa necessariamente aprovação da mesma, bastaria que uma proposta, mesmo por um cidadão individualmente considerado, pudesse ser admitida para discussão por um mínimo de 2 grupos parlamentares ou de 23 deputados independentemente do agrupamento partidário a que pertençam. Em todo o caso ficariam desde já algumas ideias específicas que se afiguram racionais e equilibrados:
- Sistema eleitoral que contemple conjugação com círculos uninominais.
- 99 a 180 deputados no máximo, e prevenir por estatuto do deputado a paralisante disciplina partidária.
- Ninguém deveria poder concorrer fora do distrito ou concelho onde resida ou exerça actividade regular pelo menos nos últimos três anos. (Válido para autarquias).
- Pôr termo aos exclusivos partidários na participação e representação política do País, deixando espaço para iniciativas da sociedade civil poder dar corpo efectivo ao exercício da cidadania com assento para intervenções regulares nomeadamente na AR.
-Determinar que pelo menos durante 3 anos após abandono da vida política ninguém poder transitar para interesses privados com que tenha estado envolvido enquanto político no activo.

 

por João Severino às 19:35
link do post | comentar | ver pauladas (2) | favorito
| partilhar
Sábado, 21 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (15)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

CENAS DO

 

 


 

 

Comentário de uma intrusa: 

Não sei porque se preocupam tanto com as ditas nomeações. O Dr. António Barreto (que não é de nenhum dos partidos do governo), disse há 2 dias atrás na Tv, que está na lei (por isso, aprovada pelos deputados), que os 'nomeados' deverão identificar-se políticamente com o/os partidos no governo. Se a lei é para ser aplicada, não se percebe tanta polémica...ou será que os Srs. que estão sentados na Assembleia, desconhecem a lei ?!

 
Comentário cá do  intruso:  
A intrusa tem razão. Muitos dos deputados que se sentam na assembleia para pouco mais servem de que para bater palmas.

 

Comentário de deputado p'ró maioria:
É bom lembrar negociações de longas durações de outros governos.

 

Comentário de deputada da maior oposição: 

Esta comparação do tempo que levou o governo anterior e este governo a celebrar um acordo de concertação social é um truquezinho barato de malabaristas! É uma "malabarice", para usar uma expressão do Primeiro Ministro.

Comentério cá do intruso para esta deputada:
Quando agora fala de truquezinho barato e malabarista convém que se recorde de actividades circenses de recreio que nos sairam caras

 

Comentário da Snra deputada: 

Sr. Fulano... direi sempre o que penso, sabendo que haverá sempre quem concorde e quem não concorde.

 

 Comentário cá do intruso:

 Snra. Deputada, dizer o que pensa não é privilégio seu. Não lhe foi pedido para não falar, apenas confrontá-la com o que disse, não deixando de reconhecer a vantagem da liberdade dos intrusos que não estão sujeitos a obediências partidárias.

 

 

 

por João Severino às 10:26
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (14)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

 

CENAS DO PARLAMENTO/RECADO PARA SEGURO

 

 

 

 

 

 

 

 

> Faça um apêlo a alguma reserva da própria lucidez.  Não se pendure com sofreguidão na 1/2 hora que fica sem visão para as 24 horas do dia.

por João Severino às 11:19
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (13)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

ARTILHARIA DE COSTAS

Quem Tviu e quem Tvê, que o outro irado obrigava ao respeitinho pelo medo e a renovada Tvi que o diga.
Com especial destaque para a estação de Carnasic, que parece ter andado a sofrer de alguma espinha atravessada na garganta, os canais acotevelam-se para as pegas de rastilho, abrem alçapões e libertaram das teias de aranha dos fundos fumegantes  ferrugenta artilharia do quartel do Rato e aliados. Desde ex-governantes como o bem conhecido malhador, passando pelos canas de foguetório até à reactivação de antigo secretáro sindical tudo serve para pegar o rastilho com  que tem atafulhado os ecrãs a perorar com rebuscados malefícios do acordo laboral. Mal disfarçada campanha de saudosos e comprometidos com o passado recente, com recurso a velhos canhangulos fumegantes com mal disfarçada finalidade de injecção de poluição no espaço público.


Até nos brindam com quem alegremente se apresente a apelidar o momento de pornografia política, quando o próprio nunca mais se resolve a vestir a descaída cuequinha. Tal mobilização de reservistas e viuvas desconsoladas cheira a esturro, sobressaindo a ansia de descreditar o entendimento agora estabelecido. Pouco se vê uma referência mais cautelosa, que sem febres de optimismo acorrentado considere a hipótese de se tratar de uma plataforma embora penalizadora. que possa constituir rampa de lançamento para o futuro. Dúvidas muitas, mas tanto a aliados na concertação se a finalidade é pura e simplesmente lixar-nos, como aos que raivosamente se atiram sem critério a qualquer sinal de mudança, o diabo que os carregue a todos. 

 

 

 

por João Severino às 10:23
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (12)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

CONTRA A CORRENTE


> Cá para mim estão a tentar entalar Francesco Schetino para além das culpas a apurar que este comandante tenha tido no naufrágio. Como regra de bom comportamento todos concedemos que em condições de mobilidade actuante o mestre deva ser o último a abandonar o navio. Mas na situação que a imagem ilustra o que é que o homem podia fazer ali dentro desacompanhado a escorregar entre pratos em cacos e compartimentos encharcados. Eu não sou marinheiro mas até acho que em balsa salva-vidas nas cercanias com visão do conjunto da situação, com meios de comunicação disponíveis e socorristas ao alcance apetrechados com os indispensáveis equipamentos até poderia coordenar com propriedade efectivas operações de salvamento.

 

por João Severino às 15:27
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (11)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

POLÍTICA DE CABIDE

"Sócrates devia ter-se demitido" na tomada de posse de Cavaco, diz Manuel Alegre.

> Começam agora a cantar os rouxinóis engasgados. Pássaros, passarinhos e passarões de asas caídas enquato houve milho. Depois da queda do galho lá vão piando até ao esvoaçar do bando carregado com a anilha da lenda de Matosinhos.


 


por João Severino às 11:27
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sábado, 14 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (10)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

LIGA ALARGA


> Escrito já com alguns meses, que primeiro o PPTAO e muito recentemente o Sporting - És a nossa fé fizeram o obséquio de publicar, e que me veio à  memória porque se bem entendi, o novo presidente da Liga de Clubes estabeleceu como prioritário o alargamento da principal prova do calendário do futebol nacional. A ser considerada apropriada e oportuna tal repescagem, dou agora conta da mensagem que a esse propósito acabo de dirigir à nova direcção da Liga. 
 
Exmos Senhores,


Na qualidade de vulgaríssimo cidadão não ligado a quaisquer interesses de grupo, mas que gosta de acompanhar todos os fenómenos da vida nacional, venho por este meio e por iniciativa rigorosamente individual propor uma nova organização para as provas do futebol nacional. Devo dizer que a ideia que vou passar a expôr já tinha sido escrita á muitos meses, mas ocorreu-me drigir-me á Liga de Clubes em função do prometido alargamento pela direcção da prova mais importante do calendário nacional para 18 clubes.
SUGESTÃO:
Divisão de Honra (seria o topo da pirâmide ) com 12 clubes a 3 voltas, de onde sairia o campeão e acessos ás provas europeias, e em que desceriam os 2 últimos. 1ª divisão com 18 clubes em que subiriam os 2 primeiros e desceriam os 3 últimos. 2ª divisão com 2 zonas (norte e sul) em que subiria o 1º de cada zona e ainda o 2º melhor, e desceriam em cada uma delas os 2 últimos e o pior 16º. 3ª divisão com 3 zonas (norte, centro e sul) em que subiriam os primeiros de cada zona e os 2 melhores 2ºs e em que desceriam os 2 últimos de cada zona e o pior 16º. 4ª divisão com 4 zonas (norte, centro norte, centro sul e sul) em que subiriam os 1ºs de cada zona e os 3 melhores 2ºs , descendo aos regionais os 5 últimos de cada série. As dependências de subidas e descidas entre zonas nos diferentes escalões seriam muito úteis até do ponto de vista competitivo. Nos regionais subiria o 1º de cada distrito (quem tiver qualidade vai-se mantendo nos nacionais ). A taça de Portugal seria a primeira prova a entrar em cena, numa 1ª fase com grupos de 4, em que um dos critérios seria a existência de cabeças de série, e a uma única volta para eliminar o último de cada uma delas e tantos quantos os penúltimos necessários de modo a dar número par para a fase eliminatória lá mais para diante, evitando-se as ridículas isenções por falta de parelha e constituindo-se assim um útil raid de aquecimento de entrada para a época.
Espero não me ter enganado nas contas do sobe e desce.
Respeitosamente

 

por João Severino às 11:57
link do post | comentar | ver pauladas (2) | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (9)

 

 

 

 

CALEM A CORNETA

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

A confirmar-se a própria fuga aos cortes que defendem para o Zé Povinho, fica determinado e mandado publicar que a partir de Sexta-feira 13 é rigorosamente proibido que esses que nos representam em orgãos de soberania, organismos e instituições de cariz público continuem a badalar as palavras austeridade, equidade e solidariedade.

 

por João Severino às 21:38
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (8)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

> Com o esqueleto galináceo do contribuinte é que não pode ser nada.

 

 



 

«Porque não existe um franchising de pastéis de nata?»

 

Ministro da Economia defende internacionalização das empresas portuguesas através dos produtos nacionais

 

 

FALHA GRAVE: Não cardapiarem a melhor das punhetas. Para conhecimento de jornalistas iletrados que censuraram em canal tv on-line esta pretendida publicação por causa da alusão a este trabalho de punho, melhor será que consultem o dicionário. 
[Culinária] punheta de bacalhau: prato .confeccionado com bacalhau salgado cru, desfiado e temperado com cebola, azeite, vinagre, etc.

 

Pacoviamente, quando se substituiu o portuguesíssimo nome por ensalada (à espanhola) lá fizeram o frete.

 

 

por João Severino às 15:28
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Terça-feira, 10 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (7)

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

> Obrigar maçons a revelarem-se é contra «direitos humanos», diz Fernando Lima.

COLISÃO DE INTERESSES


Não devem ser obrigados a revelar-se. Mas devem ser corridos de cargos públicos sempre que sejam revelados. Uma questão de obediências sombrias em que  possam ser cozinhadas na calada dos subterrâneos benefícios pessoais ou de grupo de qualquer natureza, marginais à função que em nome de todos nós deve ser levada a cabo sem amarras que tolham ou que subvertam a clareza de funções de Estado para quem tenham sido eleitos ou nomeados.

por João Severino às 10:53
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (6)

 

 

CULTIVAR A TOMATADA

 

Pau de Ferro

colaborador


> Tem estado em discussão no Parlamento a revisão do D.L. 17/2003 de 4 de Junho, de modo a agilizar o direito dos cidadãos a apresentar iniciativas legislativas. O tom geral tem sido de que se temos uma democracia representativa não fará sentido vulgarizar intervenção directa dos cidadãos. Entre as 5000 e as 35000 assinaturas tem decorrido uma abordagem pantomineira, que em termos tão burocráticos e morosos cercearia à partida qualquer iniciativa descalçando os pés que pretendam meter-se ao caminho. O que ressalta de mais transparente é que os nossos digníssimos representantes só sabem mover-se em rédea solta rejeitando qualquer picadela dos eleitores que tão zelosamente apregoam representar. Se os têm no sítio mostrem-nos com uma solução eficazmente simplificada. Se não sabem aprendam que uma qualquer proposta admitida a discussão não significa necessariamente aprovação da mesma. Se os têm no sitio mostrem-nos, acolhendo essa discussão quandou uma proposta - mesmo por um cidadão individualmente considerado - seja admitida para discussão por um mínimo de 2 grupos parlamentares ou de 23 deputados avulsos. Se os têm no síto mostrem-nos com esta solução eficazmente simplificada. Tomem lá e vão-se chegando à frente:   
- Sistema eleitoral que contemple conjugação com círculos uninominais.
- 99 a 180 deputados no máximo, e acabar com a religiosidade da disciplina partidária.
- Ninguém deve poder concorrer fora do distrito ou concelho onde resida ou exerça actividade regular pelo menos nos últimos três anos. (Válido para autarquias).
- Todos os concorrentes e eleitos pelo menos para os mais altos cargos, só portadores reconhecidos de bom comportamento moral e
cívico, com submissão obrigatória a testes de apuramento de efectiva idade adulta e comprovada sanidade mental.
- Acabar com os exclusivos partidários (onde os medíocres afastam os melhores para sobrevivência indigente) na participação e representação política do País, deixando espaço para iniciativas da sociedade civil poder ter participação e representação efectiva, nomeadamente, na AR.
-Determinar que pelo menos durante 3 anos após abandono da vida política ninguém pode saltar para interreses privados com que tenha estado envolvido enquanto político.


por João Severino às 22:04
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (4)

 

 

 

"POLÍTICOS PRESSIONADOS A ASSUMIR QUE SÃO MAÇONS"

> Isto apenas seria remédio para esconder o ranho sem curar a maleita. Os políticos tem é que ser pressionados a alterar a lei eleitoral de redil em que na prática são eleitos deputados pelos abutres dominantes dos respectivos bandos. Curioso o sistema desta democracia coxa e viciada em que a maioria dos eleitores nunca viu nem gordos nem magros os respectivos representantes de plástico que lhe impingem com enganos de saldos rascas.

 

Pau de Ferro

colaborador

por João Severino às 00:25
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2012

GARATUJAS (3)

 

 

FISCALIZAÇÃO DO ORÇAMENTO DE ESTADO

 

> No nosso País as esferas do poder aplicam sempre e sem medida estafada receita. Se as coisas funcionam mal para apoio de orgãos de soberania, organismos e departamentos do Estado fazem-se duplicados onerosos e cinzentos, ignorando convenientemente  que as cópias são repetidamente piores e apenas acabam por desculpabilizar os pastosos originais. Não chega para o efeito o Tribunal de Contas que parece só servir para rabiscar fora de tempo, sem poder decisivo e penalizador para os infractores em tempo útil?

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 15:39
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2011

QUI' NADA (31)

 

 

CONSELHO DE MINISTROS EXTRA

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

O PPTAO está em condições de assegurar, julgamos nós, que nada foi avaliado e muito menos decidido sobre as matérias (como eles gostam de dizer) seguintes:

» Reivindicação de horas extras pelo trabalho ao domingo.
» Referendo ao modo de regime: República ou Monarquia.
» Ponderação sobre o nexo e credibilidade da Constituição: mais uma revisão ou uma nova.
» Redução do número de deputados para um máximo de 99.
» Nova lei eleitora que termine com o exclusivo da representação política pelos partidos.
» Acabar com as subvenções do Estado aos acantonamentos partidários.
» Não permitir que para a AR ou nas autárquicas alguém se candidate fora da região onde resida ou exerça actividade.
» Sugestão de um concurso televisivo onde se lembre como se conduz na estrada, mais as regras de civismo a observar em toda a vida em sociedade.
» Disponibilidade de espaços e meios para alojar "sem-abrigo" nos palácios de Belém e S. Bento.
» Eliminação de chorudas reformas pagas pelo Estado enquanto os respectivos titulares exerçerem actividade privada de gordos proveitos.
» Utilização de instalações militares sub-aproveitadas ou desctivadas, para aquartelamento de actividades policiais e de socorro como bombeiros.
» Instrução às autoridades policiais para nas reportagens televisivas onde mostram serviço, não ensinarem os criminosos a ocultar o crime, a manejar armas e mostrar os locais onde as podem roubar.
» Avaliar qual é o sentido de mobilizar polícias para guardar pórticos de ferro com impedimento de prestar auxílio a vitimas ali ao lado na mesma estrada.
» Sobre regalias e direitos adquiridos,  torcidela no conceito de que quem trabalha nos comboios leva a família toda de borla à janela, mas se exercer actividade numa estrebaria é brindado com merda fumegante.
» Erradicação da possibilidade de instituções de topo na justiça como PGR e STJ possam decidir soberanamente pelo arbítrio de um titular nos segredos do segredo ou mesmo no rompante da tesourinha articulada, em vez de como manda o senso comum obrigar a respostas colegiais em assuntos da maior gravidade.

 

por João Severino às 11:02
link do post | comentar | ver pauladas (1) | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011

QUI' NADA (30)

 

 

DR. MÁRIO SOARES

> Nem precisa exercer o seu direito à indignação que tanto preza e de que se fez eco noutras ocasiões com o alvo fora de portas. Com a nau de que ainda é o mais forte rosto à deriva, sem faroleiro, sem norte, sem critério, sem rigor, e pasme-se, sem decência e sem autoridade a caminho de naufrágio eminente a cada tosca remada, é urgente o grito familiar do velho timoneiro. Ninguém  perdoaria vê-lo assistir inerte ao delapidar da herança que agitados sucessores sem regras e sem decoro teimam em destruir. A melhor ajuda que em muitas circunstâncias da vida se pode dar aos amigos é um enérgico empurrão, tanto mais se é latente o risco do descrédito, da marginalidade e da indigência. Apesar de tudo nem o Senhor nem o País merece. Tem a palavra entre os seus Dr. Soares.

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 15:27
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

QUI' NADA (26)

 

Dedicado ao Dr. Mário Soares e a outros donos perpétuos dos nossos destinos

 

Pedra filosofal-Manuel Freire

 

Eles não sabem que o sonho
É uma constante da vida
Tão concreta e definida
Como outra coisa qualquer

Como esta pedra cinzenta
Em que me sento e descanso
Como este ribeiro manso
Em serenos sobressaltos

Como estes pinheiros altos
Que em verde e oiro se agitam
Como estas aves que gritam
Em bebedeiras de azul

Eles não sabem que sonho
É vinho, é espuma, é fermento
Bichinho alacre e sedento
De focinho pontiagudo
Em perpétuo movimento

Eles não sabem que o sonho
É tela, é cor, é pincel
Base, fuste ou capitel
Arco em ogiva, vitral,
Pináculo de catedral,
Contraponto, sinfonia,
Máscara grega, magia,
Que é retorta de alquimista

Mapa do mundo distante
Rosa dos ventos, infante
Caravela quinhentista
Que é cabo da boa-esperança

Ouro, canela, marfim
Florete de espadachim
Bastidor, passo de dança
Columbina e arlequim

Passarola voadora
Pára-raios, locomotiva
Barco de proa festiva
Alto-forno, geradora

Cisão do átomo, radar
Ultra-som, televisão
Desembarque em foguetão
Na superfície lunar

Eles não sabem nem sonham
Que o sonho comanda a vida
E que sempre que o homem sonha
O mundo pula e avança
Como bola colorida
Entre as mãos duma criança

 

Snr. Doutor, a minha revolução é melhor que a sua. Não perderia Vossa Excelência importância, nem mordomias, nem vida de proletário feito lorde, nem casas, nem rendimentos, nem abastança, nem........... Que a  a sua tolhida fogosidade se levada a sério e a consequências dignas da ameaça que com uma mão pedincha e com a outra sacode o despojariam do pedestal onde soberbo se instala.

A minha, a minha pacóvia revolução para que conste até que a voz me doa, limitar-se-ia, com ausência de armas, de tiros, de traições, de perseguição de inocentes e de prisões, tão só a uma avassaladoramente generalizada ausência dos cidadâos eleitores no próximo acto eleitoral venha ele quando vier. E não lhe chamem abstenção enquanto não plantarem uma cruz (x) para esse efeito em cada boletim de voto. Isto mais que uma sugestão é um desejo e cá estarei se o tempo me deixar, para vêr como os obreiros e beneficiários do regime que construiram á sua medida se iriam desunhar. Cuidem-se.    

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

por João Severino às 18:18
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011

A SELECÇÃO E OS CIENTISTAS

 

 

> Uma coisa devemos todos aprender em definitivo. Respeitar antes de mais todos os adversários, antes, durante e após os jogos ou competições. Especial atenção aos fazedores de opinião como os jornalistas da especialidade que decretam antecipadamente obrigações e até antecipam resultados. Metam de uma vez por toda na mona que hoje não há jogos fáceis e é durante os 90 minutos cheios de imponderáveis que as coisas se decidem. Mesmo a ganhar por 6-2 um desses cientistas da bola diz-nos que num dos lances de golo sofrido que até resultou de um fora de jogo a nossa selecção se esqueceu de defender. Tenham juízo, que com essa filosofia barata convinha sempre que os adversários não se lembrassem da própria defesa nem de atacar á vez. Parabéns a Paulo Bento e aos seus rapazes pelo feito e pela lucidez de perceber que vozes de burros não chegam ao céu.

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 15:00
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Terça-feira, 15 de Novembro de 2011

ASNOS

 

 

> Louvável iniciativa empresarial a de reactivar a antiga feira de burros da minha terra. Espécie em franco crescimento como se verifica pelas aparições públicas dos mais notáveis exemplares. Qualquer quadrúpede com uns óculos encaixados e um livro a badalar vai passando por distinto doutor apesar do prodígio na asneira e da burrice na ciência.

Com vento nas asas e rédea solta cedo ganham  solenes honrarias que preservam e lhes serve de moldura para registo futuro. O Álvaro e a economia nacional agradecem, principalmente  se a exportação constituir a fatia mais volumosa do negócio com a vantagem da redução de tais bestas nas paradas de ferraduras com diminuição drástica dos competentes coices que nos vão rasgando a pele.

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 11:35
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011

BATATADA A MURRO (6)

 

DIREITOS IGUAIS UMA MERDA

 

> Pensava eu de que as empresas asseguravam seguros para proteger os seus colaboradores de acidentes de trabalho e outros azares que pudessem ocorrer relacionados com imponderáveis marginais à própria vontade e actuação cinzenta. Ficamos agora a saber que a REN também manda proteger e acautela pagar a defesa de alegados vigaristas ao seu serviço.
Em tempos de reclamada equidade para o comum dos mortais desta caldeirada lusa pede-se aos novos beatos da doutrina que saiam a terreiro indignar-se com esta vergonhosa distinção para alegados vigaristas. Se este insulto a quaquer pilha-galinhas que se preze, a um qualquer trolha de mãos calejadas ou a um anónimo pescador de pele curtida, devem estes mandá-los ir tratar do assalto à capoeiras para os seus churrascos, dos próprios biscates para desentupir sanitas ou molhar as patas para a pesca própria de saboroso peixe-piça.
Se altas esferes como o Presidente da República, Procurador-Geral, Tribunal Constitucional e Supremo Tribunal de Justiça não vierem a terreiro botar faladura a propósito desta sujidade vergonhosa, então, podem limpar as mãos à parede e ir pregar moral para o raio que os parta.

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 14:17
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Terça-feira, 8 de Novembro de 2011

QUI' NADA (22)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

FACE OCULTA OU FACE DESCARADA


> A validade do julgamento que hoje se iniciou está dependente de uma decisão do Tribunal Constitucional relativamente a escutas que podem queimar.
Se essa decisão for num certo sentido pode determinar efeito nulo para qualquer das sessõs entretanto realizadas e mesmo anular todo o processo que tenha sido desenvolvido.
Será que a nossa justiça não passa de um palco com espectáculo de aparato e ostentação para exibição de notáveis? Um verdadeiro desfile de moda pela arte de bem vestir e uma descarada afronta à inteligência e paciência do comum dos mortais.
É esta gente indecorosa que nos governa e julga.

 

 

por João Severino às 19:31
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 4 de Novembro de 2011

CONTO

 

 

> A família Trapo está a viver em casa degradada que ameaça ruir. Um vizinho abastado quis ajudar com uma dádiva para as reparações urgentes. Caibros, telhas e tábuas soltas contituiram a parte visível a necessitar de acção imediata. Um dia o velho fogão feito de tijolo em caixa de sabão pegou fogo, mas o marreco mental ao leme do clã corcunda e ruidoso, vociferava seguro para deixar arder porque o raio do caixote  não estar no contrato. Arre que é burro!.

 

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 14:50
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

BATATADA A MURRO (4)

 

 

> O assalto continua......do Sabor, do Tua e do Corgo para a Serra. De entre os milhares de milhões de prejuízo da REFER alguém faz o favor de nos dizer qual o peso específico dos alegados prejuízos de exploração contabilística destas linhas?
E o serviço incontabilizável para as populações, a destruição das obras de arte á força de braço quando estes agiotas ainda adormeciam nas entranhas dos antecentes bem como a exploração turística negligenciada?
Reportemo-nos agora e apenas à 1ª pedra criminosa da barragem do Tua.
Crime digo eu. Trata-se de uma irrepetível centenária obra de arte, esculpida a músculo num cenário montanhoso agrestemente inigualável. Nem precisamos de comparar com o que seria a demolição ou soterramento de estátuas ou pirâmides de outros mundos. Devem os salteadores ser acusados por intenção conscientemente criminosa de decapitação de uma maravilha terrena inseparável do eterno Douro, património da humanidade que não podemos deixar assassinar.
Será que a maioria dos Portugueses conhece? É hora de organizar excursões de todo o País á região, para que um sentimento de revolta se instale e impeça tal acto de dimensão terrorista destruidora.
Naquelas paragens pelas alturas de S. Mamede de Riba Tua tal a grandeza e extensão do feito chamam-lhe carinhosamente a contemplação do belo horrível.
Quem dá caça a tais actos terroristas engendrados no aconchego do ar condicionado e regulados apenas ao sabor de contabilidades caseiras inscritas na parede do lucro fácil com tições de carvão roubado?

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 15:10
link do post | comentar | favorito
| partilhar

QUI' NADA (20)

 

> A 15 de Março de 2011 ficou escrito:
"O PS não gere, atrapalha e transfere, querendo demagogicamente obrigar a oposição a tudo digerir. Não há solução para o País com estes socialistas catastróficos a governar que passarão a ciclone destruidor na oposição".

 

Atentando nos debates recentes na AR pode dizer-se agora: Perdida a razão perderam também a memória e a vergonha, padecendo de evidente e descaradamente infantil  senilidade.
Será que vão poder continuar a exibir sorriso hipócrita e cínico ancorados nas portas que sempre se têm aberto para a impunidade?

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 10:33
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quarta-feira, 12 de Outubro de 2011

qui ' nada (18)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 


QUADRADA A CABEÇA

 

> Nunca temos nada a ver com o 8 mas o oitenta é sempre nosso. Apontar o dedo acusador é nossa arte e triste fado, que tudo de mau é obra alheia e em cada EU tudo é verticalidade e virtude.  Vem isto a propósito dos comentadeiros profissionais do jogo da bola, que afinal são especialistas ronceiros em prognósticos chapados só no fim do jogos. Cientificamente dão-se ao luxo de antecipadamente descascar ao milimetro no computador de bolso cada lance e cada canelada, descobrindo fragilidades nos adversários e toda a superioridade virtual das nossas hostes, mas virando a casaca com destreza de carteirista quando toca a prova de contas erradas. Esquecem pacoviamente que é durante os 90 minutos que o pau vai e vem para quem joga, mas não lhes perdoa bordoada que mal disfarçam não doer, antes, durante e depois, ao sabor da duração da diarreia.

Com a balofa superioridade de feiticeiros fumegantes parece nem quererem deixar jogar, tal a certeza no cagar que cedo debitam tratando como ciência exacta no seu esquinado e cabeçudo quadrado o que também é um jogo ao sabor de imponderáveis. No mundo dos futebóis o topo do mérito vai para a bola que já nem fura, e o fundo a pau batido para a chusma parladora que descobre pioneiramente uma cobra em cada minhoca. É vê-los durante uma partida a despejar sílabas sábias tipo bruxa da ladeira, e mal o árbitro apita para começar tratam de lavrar a sentença de morte para uma das equipas só porque houve um pontapé num monte de relva levantada ou porque o ponta de lança escorregou num charco que não se desviou.

Quase sempre é o sentenciado e precoce morto que se levanta e acaba por ganhar, mas aqui sai da cartola a destreza do golpe do chocalho com loas ao desenterrado vivo e passam sem corar de vergonha pelo apressado e especulativo débito que rapidamente entornam com funil de longa distância para não tisnar a gravata. Perceberem que nas coisas do pontapé no esférico pode acontecer ao mais pintado sofrer uma derrota depois de 5 resultados seguidos a favor é que não cabe nem nos subúrbios daquelas massas cinzentas mal enroladas. Humilhados são eles.

 

por João Severino às 10:11
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

qui ' nada (14)

 

 

> Cavaco reúne «tropas» para combater a crise

  Cláudia Lima da Costa, TVI 24, 28.9.2011 23: 26


COMENTÁRIO:

Solenidades fúnebres - Novas e velhas tropas da fandanga mobilizadas para o púlpito do campo da derrota que semearam, onde até o engenho para enterrar os mortos escasseia, quanto mais sobrar restea de arte para cuidar dos vivos.

 

Pau de Ferro

colaborador

 

por João Severino às 10:56
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Terça-feira, 13 de Setembro de 2011

qui ' nada (13)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

> PSD TAMBÉM COMPLEXOU E PS CANTA VITÓRIA PELO FEITO ARQUEOLÓGICO DA MANUTENÇÃO DE UMA CONSTITUIÇÃO INCONSTITUCIONAL DO TEMPO DAS MENSAGENS POR POMBO CORREIO, COLADA COMO UMA LAPA INERTE À ERA DAS NOVAS TECNOLOGIAS.

Com guardiões do templo, constitucionalistas e comentadores de elite a beatificar esta sagrada escritura, ignorando que o direito enviesadamente consagrado de intervenção cívica e participação política dos cidadãos não pode estar sujeito a qualquer tipo de filiação em grupos de interesses de caserna, como no exemplarmente indecoroso expoente da promiscuidade e compadrio traduzido no chocante apropriar da res pública pela partidocracia bem guardada e instalada a benefício próprio.
É imperioso que o vulgar cidadão eleitor possa perceber se há alguma lógica associada ao modo como é considerada e tratada a "abstenção", tanto no processo como na contabilidade eleitoral no nosso sistema político. Diversos apelos de esclarecimento formulados têm sempre caído em saco roto, como comentários em espaços on-line, missivas dirigidas directamente a órgãos de soberania, partidos políticos e comentadores conceituados. Os apelos ao exercício da cidadania  não passam de pura retórica quando nem sequer um pedido de esclarecimento penetra no sistema de triagem dos poderes instalados e nas adjacências que lhes suportam os tabus, não dando admissão a objectos descartáveis incómodos a que em linguagem de corredor devem chamar índios de utilização mercantil, tal a sobranceria e desprezo que revelam por intrusos que ousam espreitar no circuito marcado e fechado onde se movem.
E  pelos vistos a lei eleitora lá vai continuar a comer por tabela. Continuam a misturar abstenção com insondáveis razões de ausência nas urnas. Quem tem medo de um campo (X) para esse efeito em cada boletim de voto? Esta intransmissível , pessoal e inconfundível opção requer e deve exigir a dignidade de voto validamente expresso! Há quem lavre surdo protesto não indo votar por estar vedada a possibilidade de presencialmente exercer a abstenção querendo. Quem acha que a dignidade de uma civilizada, consciente e ponderada escolha seja obrigada a ficar na rua em corrente avulsa e depositada no cemitério de incertos sem lápide?
Porquê tal discriminação em relação aos nossos deputados, que na Assembleia da República, apesar da aviltante disciplina partidária a que se submetem, para se abster tem que marcar presença? Porque um direito pode não ser exercido, é licito continuar um protesto faltando até que
se veja facultada uma explicação racional. Ou será que uma abstenção assumida presencialmente ao ganhar o estatuto de voto validamente expresso iria espremer e secar a fórmula e contas que protegem a comunidade de profissionais da política? A continuar sem esclarecimento e justificação, permanecerá a suspeita de maquinação orquestrada e camuflada pela ditadura dos partidos para não partilharem a mama da porca.
Contra a institucional preguiça manhosa e para uma constituição escorreita e uma nova lei eleitoral decente erga-se o PAU e tomem lá disto:

- Conjugação com círculos uninominais
- 99 a 180 deputados no máximo e acabar com os votos em manada na AR.
- Ninguém deve poder concorrer fora do distrito ou concelho onde resida ou exerça actividade regular nos últimos 3 anos. (Válido para autarquias).
- Todos os concorrentes e eleitos pelo menos para os mais altos cargos,só portadores reconhecidos de bom comportamento moral cívico, e depois submetidos a testes de sanidade mental.
- Acabar com o exclusivo das ditaduras partidárias na participação e representação política do País, deixando espaço para iniciativas da sociedade civil poderem ter representação efectiva.
- Intervenção e representação política da sociedade nomeadamente com presença no parlamento, começando por contemplar o direito a assento por inerência a representantes de organizações sindicais, patronais e outras não estatais, e ainda representação de profissões como operários, engenheiros, médicos, professores, jornalistas, banqueiros, reformados.
- Da obediência dos partidos só entraria gente por eleição mas com ligação efectiva ao eleitor. Aplicação da regra dos 3x33=99 deputados. 1/3 por inerência para autarcas, 1/3 ainda por inerência aos grupos e profissões atrás assinalados e, finalmente, 1/3 para eleitos em nome
 dos partidos.
Não nos admiremos que emprenhem uma solução hiper comercial com abertura de concurso para que empresas e potentados económicos possam patrocinar as eleições, suportando  gastos com brindes e prémios a atribuir por pronta devoção.
Com a oferta de porta-chaves e esferográficas para quem se apresente nas mesas de voto. Por sorteio entre os que marquem presença, em cada freguesia um rádio, em cada concelho um televisor, em cada distrito um carro, e como grande prémio a nível nacional uma casa. Sem interditar aos promotores a convocação de nus na correria a prémios mais chorudos que possam vir a entrar no catálogo de ofertas.
Para quando uma lei eleitoral que termine com um parlamento a cola e cimento para dar lugar a mais deputados da nação e menos a figurantes de guião?
Em algum passo do clausulado constitucional se refere a indispensabilidade de filiação ou obediência a cores partidárias para exercicio da soberania pelo povo através da participação e representação política? Constituição ou lei eleitoral inconstitucionais? Ou ambas?  

 

 

©

 

     

por João Severino às 14:22
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sábado, 10 de Setembro de 2011

qui ' nada (12)

 

Pau de Ferro*

 

 

 

"SEGURO" DE MORTE

A casa estava a cair, e pedida ajuda externa foi determinado um empréstimo com descriminação dos pontos identificados como sensíveis sujeitos a intervenção prioritária. Ferro gasto à vista, chaminé interior prestes a desmoronar, soalho podre. O vizinho do lado, conselheiro amigo da onça instiga a que se cague noutras mazelas que indiciem necessidade de mais cuidados, nem que se trate de uma fuga de gás que ameaçe rebentar com o casebre. Só colabora no que os de fora ordenaram e a nada mais está obrigado para além do que subscreveu. Cabeças de merda.

Qualquer semelhança com a actualidade política é pura coincidência.

 

 

*Colaborador

 


por João Severino às 11:33
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 9 de Setembro de 2011

qui ' nada (11)

 

Pau de Ferro*

 

 

MAIS UM CONGRESSO "RATO" DE ENCENAÇÕES DE  FÉ  

Vão ajoelhar agora com novo  mestre os fundamentalistas peregrinos que tão recentemente se babaram aos pés do artificial filósofo que carregaram disfarçadamente doridos?



          RODA DE SOMBRAS


Destruir o céu com bolas de fogo

Invadir o inferno com lanças de papel

Partir a janela penetrar no espaço;

Destruir o piano e fazer um poema

Apagar o sol engolir o mar

Erigir um marco no centro do mundo

Ensaiar alturas rastejar servil

Ocupar palácios esmolar a fome

Cercar o castelo e servir o rei

Empunhar a bandeira de novo senhor

Correr em círculo e gritar em frente

E contemplar inerte

As sombras do esbracejar grotesco

 

 

*Colaborador residente

 

por João Severino às 17:37
link do post | comentar | favorito
| partilhar
Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011

qui ' nada (9)

 

Pau de Ferro

colaborador

 

 

P'RÓ ENGATE


Os nossos ilustres pensam com os calcanhares ao retardador mas mostram os presuntos para nos deixar com água na boca. O burro do meu avô que com óculos verdes comia palha seca era um inocente amador na compita com tais habilidades circenses.

 

 

De uma vez por todas combata-se a diarreia mental e obrigue-se o uso de penico se necessário, para não inundarem a plateia quando se sentam com o próprio cú no pedestal por mais elevado que seja. Coisas como educação, saúde e justiça têm que ter soluções de regime, e não impulsos fortuitos deixados ao arbítrio de qualquer governo serviçal de ocasião. Também os investimentos gigantescos de obras/empreendimentos estruturantes não podem ser entregues a contratados a prazo que miram rescisões bem aconchegadas. Fingem acordar tarde e em aflição na lama do pântano que alimentam, mas não negligenciam farta colheita privada nos despojos do lamaçal em que vegetam.

 

por João Severino às 15:21
link do post | comentar | favorito
| partilhar

pptao

Um blogue onde deixarei simples observações sobre o que vai acontecendo à nossa volta neste mundo global. Também serve de contacto com imensas pessoas que gostaram de mim. O título do blogue? Porque sempre fui "pau para toda a obra". Obrigado por ter vindo. “Morrendo estou na vida, em morte vivo; / vejo sem olhos, e sem língua falo; / e juntamente passo glória e pena.”, Camões

widgets

arte

João Eduardo Severino

Create Your Badge

a frase

"A vida é muito curta para termos inimigos"
Ayrton Senna

Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

favoritos

Quatro anos depois

pessoalmente

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

cv

Jornalista com a Carteira Profissional nº 278. Já restam poucos do meu tempo. Como último cargo fui director e proprietário do diário 'Macau Hoje'. Pode ler o meu CV completo na primeira mensagem de Outubro de 2007.

subscrever feeds

visitantes


widgeo.net

tags

todas as tags