Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

Breaking news (17)

A Câmara de Cascais e a Federação Nacional de Motociclismo entregam amanhã na Assembleia da República uma petição contra a venda do autódromo do Estoril, que contava, às 16:00 de hoje, com 4.900 assinaturas.

Pedido especial



A nossa colaboradora Cristina Ribeiro teve hoje um desejo e deixou-o aqui expresso num comentário. E por que não satisfazermos os desejos a quem o merece? Aqui tem o "seu" Harrison Ford... quando era um "borracho" e hoje mesmo, especialmente para si, a dizer-lhe adeus...

Scolari chegou a ter acordo com Benfica


O Benfica chegou a ter "um acordo total" com Luiz Felipe Scolari após a saída do espanhol José Antonio Camacho para o Real Madrid, no Verão de 2004. A revelação é feita pelo ex-director-geral da SAD do clube, José Veiga, no livro "Como tornar o Benfica campeão", escrito pelo antigo dirigente "encarnado" em parceria com os jornalistas Camilo Lourenço e José Marinho, que é apresentando amanhã em Lisboa. O antigo empresário, que já colaborava com o Benfica, mas só assumiu funções na SAD nesse Verão, afirma que o treinador brasileiro, então envolvido com a Selecção Nacional no Euro2004, "tornou-se rapidamente consensual", porque o clube procurava um técnico com "o mesmo registo disciplinador de Camacho". Luiz Felipe Scolari ainda não tinha renovado o contrato com a Federação Portuguesa de Futebol e o facto de Portugal estar a disputar o Euro2004 em casa implicou que as negociações com o Benfica decorressem "sempre em grande segredo".

"Chegámos a um acordo total. Luiz Felipe Scolari ficou encantado com o projecto e com as condições. Nesse dia fiquei convencido de que Scolari seria o novo treinador do clube. Havia sintonia de ideias, chegámos a falar de jogadores, discutimos hipotéticos reforços", revela José Veiga. Mas o técnico brasileiro acabou por rejeitar qualquer hipótese de representar o Benfica, quando o acordo chegou às páginas dos jornais, em pleno decurso do Euro2004.

Estratégia ardilosa para afastar Fernando Santos
O antigo director-geral do Benfica escreve ainda que os dirigentes "encarnados" prepararam "ardilosamente" o ambiente para afastar o treinador Fernando Santos.
José Veiga diz ter recebido a visita, em Maio, de um empresário "muito próximo de Camacho" que queria saber se “tinha algum problema com Camacho e se, por acaso, ele viesse treinar o Benfica, se trabalharia com ele". O cenário foi afastado naquele momento, porque o Benfica já tinha Fernando Santos como treinador para a época 2007/2008.
Para José Veiga, o futuro de Fernando Santos começou a ficar definido "pouco dias antes do começo oficial da época", quando Domingos Soares de Oliveira, director financeiro da SAD, quis organizar "apressadamente" um jogo de apresentação com o AC Milão, "a quatro dias do primeiro jogo do Benfica da pré-eliminatória da Liga dos Campeões".
"Queria uma coisa em grande e preparava-se para oferecer aos sócios do clube a cabeça do treinador numa bandeja", denuncia no livro, adiantando ter alertado Fernando Santos para o facto de os dirigentes do Benfica estarem a pretender "arranjar uma desculpa para o demitir. Não tinham conseguido fazê-lo no Torneio do Guadiana, porque o Benfica venceu o Sporting, teriam de fazê-lo antes da Liga dos Campeões".

Vieira tem "insegurança e falta de liderança"
José Veiga refere que a "insegurança e falta de liderança" do presidente Luís Filipe Vieira comprometeram a sua obra na Luz.
"O Benfica tinha um treinador, um plantel, uma linha de rumo e uma época bem planeada. (...) Perdemos tudo porque a direcção não teve paciência para esperar e preferiu mudar o treinador ao fim da primeira jornada. É um caso inédito no futebol português", lamenta.
Para José Veiga, foi a "influência de outras pessoas" que convenceu Luís Filipe Vieira a vender Simão Sabrosa ao Atlético de Madrid por um valor abaixo do que estava estipulado na cláusula de rescisão do avançado, 25 milhões de euros.
“Um erro de gestão desportiva, que denuncia falta de sensibilidade para perceber o que é importante numa equipa de futebol", considera José Veiga. "Não podia ser director-desportivo sabendo que a direcção tomava decisões exactamente opostas à minha. Percebi que as más influências junto do presidente iam por em causa o plano para voltarmos a ganhar o campeonato. Sendo assim, achei que era melhor não continuar", explica o antigo dirigente dos "encarnados".

Político do Ano

"A política é uma porca", disse Bordalo Pinheiro. Mas temos que viver com ela. E com eles. Que a fazem ou desfazem. Políticos há-os de todo o género e aparência. Com virtudes, defeitos e feitios. De uns gosta-se. De outros quando falam mudamos de canal. Cada um com o seu currículo e nós com cada preferência. Por isso mesmo, convido-vos a eleger o Político do Ano 2007, cuja votação está ao vosso dispor na barra lateral.

O que eles dizem (14)

"No país que eu conheço os gays são chamados de paneleiros"
Daniel Oliveira, bloguista, colunista e comentador em televisão

"Se queremos uma gaja boa como o milho temos de a namorar"
Ribau Esteves, secretário-geral do PSD

"É crucial para o país ter escolas de classe mundial"
Daniel Roos, director internacionsl do Programa MIT-Portugal

"Para quê viver mais se a velhice é um estádio pobre, solitário e brutal?"
João Pereira Coutinho, colunista

"O que é de sublinhar em todas as hipotéticas explicações é que não passam disso mesmo: são hipotéticas"
Manuela Ferreira Leite, economista

"Luiz Felipe Scolari mereceria o prémio de português do ano se fosse português"
Pedro Boucherie Mendes, colunista e comentador em televisão

IMPARCIAL, jornal independente

IMPARCIAL
é um jornal no sonho. Num sonho meu. Que tive e que mantenho. Talvez um dia volte a ter possibilidades financeiras de editar um jornal.
IMPARCIAL
seria um jornal produzido exclusivamente por jornalistas com carteira profissional, mas que estivessem desempregados.
IMPARCIAL
por agora vai publicando o que tiver interesse com ligação à Comunicação Social

Algo estranho

Não sei o que se passa mas vários comentários que foram enviados não deram aqui entrada. Espero que não haja avaria nas comunicações da blogosfera. Se assim fosse, logo alguém diria que a culpa era do presidente do Congresso das Comunicações, Jorge Coelho.

SMS DN (6)

"Pedro Santana Lopes vai ficar isento de responsabilidade nos 2,5 milhões que estoirou no Parque Mayer? Ainda andam pela Câmara de Lisboa os nove tradutores de russo que João Soares lá pôs?"

Carlos Ribeiro, Lisboa

Desgraçadas rotundas


Foto Luís Bonifácio

Os autarcas já não sabem o que fazer com tantas rotundas que constróem. As rotundas proliferam em todo o país como cogumelos. E depois impingem-lhes decoração da mais inapropriada e por vezes ridícula. Na Freguesia de Cabeção, Concelho de Mora, Distrito de Évora nesta rotunda colocaram uma bilha grande de azeite... Por acaso não tinham por ali um penico, se não também ia...

Ver o blogue As Mais Belas Rotundas de Portugal www.asmaisbelasrotundas.blogspot.com

Breaking news (16)

O ex-Presidente da República portuguesa, Jorge Sampaio, considera que não cabe aos países da União Europeia serem "os corajosos ou os curandeiros", no que respeita a questões internas do Zimbabué, podendo apenas "ajudar numa solução".

Clara Ferreira Alves de caixão à cova

Clara Ferreira Alves a esta hora deve ter-se enfiado no eixo do mal e caído nas profundezas do Inferno onde parece que o fogo queima os que se portam mal... Acabei de ler no DN a crónica de Baptista-Bastos sobre o novo programa de Mário Soares na televisão. Demolidora para a apresentadora. Uma prosa que eu há muito não lia em qualquer compêndio de crítica inteligente, sábia e culta. Baptista-Bastos sem uma vez ter escrito o nome da senhora, que se quis arvorar em vedeta de televisão, prega-lhe uma sova de caixão à cova. BB no seu melhor. Ele é como o vinho do Porto. A sua crónica é dedicada ao último leopardo, que é Mário Soares, salientando que estamos perante o último dos políticos mais lúcidos e amantes da liberdade da nossa história política recente. Mas BB ao ver o programa televisivo ficou indignado, revoltado e zangado, diga-se em abono da verdade, com todo o direitoe razão. Acontece que o vulto Soares merece sempre alguém para o entrevistar que saiba o que está a fazer e, que acima de tudo, saiba com que está a conversar.
Baptista-Bastos começa por escrever que no programa O Caminho Faz-se Caminhando "uma senhora por lá desfila roupas e futilidades, expondo um provincianismo cosmopolita sem remédio e demonstradamente patusco. Mário Soares merecia outro interlocutor. À vista desarmada, logo nos apercebemos de que a senhora não está à altura das circunstâncias. Não compreende. talvez por indiferença histórica, ignorância ou módico conhecimento dos factos, o que Paris representou no percurso político, intelectual, cultural e ideológico de Soares".
Baptista-Bastos continua a sua crónica e sempre com parêntesis oportunos sobre CFA, dos quais respigamos aqui as seguintes passagens:
"A senhora passou alegremente ao lado, adornando o sumptuoso desconhecimento com inexplicáveis risadas"

"A presenteira senhora passeou outro casaco de peles e sacudiu as mãos. Não sem chamar de 'você' o homem sábio, paciente e efusivo, que a tratava com educada cortesia"

"A infelicidade do programa começa no título (...) a senhora passeante pelo programa não percebe nada destas coisas. E nós não percebemos o que anda ela por ali a fazer"

Quando Simão joga há golos


Os adeptos do Atlético de Madrid andam muito nervosos com as decisões do treinador mexicano Javier Aguirre por este estar constantemente a mudar os extremos. Eles são quatro. O português Simão Sabrosa e o espanhol Reyes são os mais mediáticos e não gostam nada de estar sentados no banco de suplentes.
Em 18 jogos do Atlético, Reyes não terminou nenhum jogo e Simão apenas por duas ocasiões jogou os 90 minutos. Simão já se pronunciou aos jornalistas espanhóis e a propósito disse que se não se joga não se adquire ritmo. Se não há ritmo não há golos. Lógico...

20 anos a filmar


A National Geographic está a celebrar 20 anos de filmagens através da sua Crittercam, as quais têm sido instaladas em aves, peixes e mamíferos. Foi em Dezembro de 1987 que pela primeira vez se instalou no corpo de um animal uma câmara de filmar. Desde aí temos assistido à captação de imagens maravilhosas e a reportagens sensacionais.

Benfica venceu no frigorífico

Neste Portugal cinzento carregado de nevoeiro e com umas chuvinhas no Norte e Centro temos um Governo que apenas faz propaganda das decisões que entende serem positivas. O contrário é pouco sério, como por exemplo, pouca gente saberá que os jovens vão deixar de ter as facilidades e os subsídios que possuem actualmente para a aquisição de casa. Assim se apoia a juventude. Jovens e velhos que se preparem porque vem aí mais um imposto escondido com saco de fora. O Governo pretende taxar os sacos de plástico em cino cêntimos. Os empresários do sector dos supermercados já torceram o nariz e está-se mesmo a ver que a medida vai sobrar para o consumidor. Quem não está a consumir lá muito bem o que se passa no BCP é o seu accionista Joe Berardo que agora até quer ir falar com o procurador-geral da República para denunciar uma série de ilegalidades, diz ele, que a administração do banco juntamente com outros accionistas teria cometido. O pior é se alguém começa a querer denunciar o próprio Joe depois de já lhe terem começado a investigar a sua fundação. O que parece que não dá para investigar são os crimes da noite portuense e lisboeta com ligações a mafias. Assim de repente sabe-se já que no ajuste de contas que atingiu mortalmente o proprietário do bar-avião, em Lisboa, estariam envolvidos polícias com ligações às organizações mafiosas. Ou seja, por que razão é que Portugal não haveria de imitar Macau, Miami ou Sicília... ao fim e ao cabo, tudo se justifica na própria situação que se vive no seio das polícias. Com salários de 700 ou 800 euros será difícil que um polícia não seja corrupto e que não vá olhar pela vidinha noutras paragens. Numa paragem longínqua e muito fria esteve o Benfica que heroicamente conseguiu ir à Ucrânia jogar com uma temperatura de 11 graus abaixo de zero. Camacho queria que os seus homens jogassem à Porto e a verdade é que conseguiram a vitória de que tanto necessitavam. Vencendo o Schaktar por 2-1, com dois golos do grande Cardozo, as águias já podem voar para a taça UEFA.