Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

SÓCRATES COLONIALISTA

> Quem o diz é o prestigiado jornal 'Financial Times' a propósito da ordem dada por José Sócrates no caso da PT/Telefónica/Vivo.
«A estupidez colonial não morreu», comenta hoje o 'Financial Times' sobre o bloqueio pelo Governo português à venda da participação da Portugal Telecom na brasileira Vivo à espanhola Telefónica.

E EU PENSAVA QUE ERA PORTA-VOZ


> Um porta-voz do maior partido político deve ser, em princípio, uma pessoa de bem, de verdade, de seriedade, de cultura política, de inteligência superior, de cordialidade extrema, de comunicação transparente e com o tempo totalmente dedicado ao partido. Pensava eu que era assim, mas não é.
Ser-se porta-voz deve servir acima de tudo para se arranjar uns bons negócios e umas boas ligações a consultadoras jurídicas que resultem nuns bons milhões de lucro.
Fiquei admirado que um projecto de luxo erguido em Monchique [e que nos daria muita água pela barba em explicar como tudo aconteceu], o 'Longevity Wellness Resort', hotel de luxo, tenha Vitalino Canas como o advogado do projecto...

CONTROLINVEST ENTERRA 'DN' E 'JN'

> Joaquim Oliveira na senda da sua ganância vai de mal a pior. Hoje ficámos todos surpreendidos quando nas bancas de venda de jornais nos informaram que o Diário de Notícias e o Jornal de Notícias tinham aumentado o preço de capa em 10 por cento. O homem está louco e a família não sabe. E onde estão os trabalhadores do grupo económico de Oliveira? Ninguém se insurge contra esta manobra contrária à manutenção dos títulos? Não veem que aumentando o preço de exemplar em 10 cêntimos que isso significa uma redução nas vendas dos jornais?

E o pior é a vergonha patenteada no processo. Pega-se no 'DN' e lê-se uma nota escondida na última página que refere o aumento para €1.10 e que diz simplesmente "Um aumento, inevitável, que os nossos leitores compreenderão".
NÃO! Não compreendemos e é amanhã mesmo que vou deixar de comprar o 'DN' e o 'JN' porque este Oliveira não merece nada.

Pág. 34/34