Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

deus queira que percam

 

> O meu amigo Rogério, o tal que "trabalha num banco" [como sempre anuncia a sua profissão sem mentir, porque logo esclarece que se trata de um banco de engraxador] acabou de me dar a sua "douta" opinião sobre a candidatura ibérica para os Mundiais de futebol. "Só quero que percam!". Mas por quê? "Atão, você já topou aquela malandragem? Andamos práqui falidos, com os estádios vazios, outros que devem ir pró galheiro, e ainda nos canditamos a um Mundial? Nã temos pilim pra nicles batatóides, já ando só a pão e chóriço e ainda querem que paguemos mais cobre para o Mundial e ficarmos mais devedores aos chinantes da Europa? Deus queira que percam! Esse Madaíl e o Socrátes é uma cambada que só nos leva à falência!"...

sem pneu

 

> O calendário das mulheres sem pneu já foi lançado ao público. Mulheres semidespidas, uma marca de pneus e um calendário. Estas três referências transportam-nos imediatamente para uma oficina de automóveis, mas a verdade é que todas juntas têm um significado bem mais glamoroso. A 38.a edição do Calendário Pirelli foi desvendada ontem, terça-feira, em Moscovo, numa daquelas cerimónias para onde se leva sapatos mais caros do que alguns carros usados...

miserável

 

> É este Portugal que se pavoneia de pertencer ao clube europeu, ao clan do qual fazem parte a Alemanha, Inglaterra e França. Países que têm um nível de vida muito superior ao nosso. Até o Luxemburgo deixa atónitos todos os portugueses que ali arranjam trabalho e se dão conta de quanto recebem de salário mínimo. Por cá, foi feito um acordo entre o Governo e os parceiros sociais no sentido de em 2011 o povinho passar a usufruir do miserável salário mínimo de 500 euros. Pois, até isso [miseravelmente] José Sócrates quer deixar cair...

no 1º de dezembro

> O chefe da Casa Real, Duarte de Bragança, pediu a nacionalidade timorense, devido às "relações profundas com Timor-Leste", afirmou numa entrevista à Lusa. Em entrevista por ocasião da Restauração da Independência, que se assinala hoje, Duarte de Bragança explicou que "a Casa Real já encetou os contactos para a obtenção da dupla nacionalidade, portuguesa e timorense, através de um pedido comunicado ao Presidente José Ramos-Horta".

O chefe da Casa Real salientou que sempre apoiou a causa da independência timorense e, por outro lado, destacou "as relações profundas, espirituais, do povo timorense com Portugal". Duarte de Bragança sublinhou também que a Casa de Bragança e a bandeira monárquica são símbolos de "grande significado" para a nação timorense, que tem por isso uma relação especial com o herdeiro da última dinastia portuguesa.

 

PAU COMMENTS

 

De a.marques a 1 de Dezembro de 2010 às 14:16
Não temos rei, mas sobram monarcas repúblicanos a reinar connosco.

saga júdice

 

> Mas por que é que o PPD/PSD não deixou que o senhor José Miguel Júdice tivesse sido o que queria ser no partido? Que raio de sina, pois, agora temos de aturar o senhor com toda a diversidade de dislates, uns a favor do PSD, outros contra o PSD, uns a favor de José Sócrates, outros contra José Sócrates, uns a favor de Cavaco Silva, outros contra Cavaco Silva, uns a favor dos dirigentes que vão aparecendo à frente do PSD, outros contra os dirigentes que vão aparecendo à frente do PSD... ufa, como diz o outro, "por que no te callas?!".

o mestre

 

> O mestre Baptista-Bastos escreveu mais uma crónica admirável no 'DN' como é seu timbre. É um dos jornalistas que mais admiro e chegámos a trabalhar juntos em determinadas reportagens dos anos de 1970. Abordou a solidariedade fantástica dos portugueses na recente iniciativa do Banco Alimentar. Todavia, o mestre esqueceu-se de referir que temos por aí vários partidos políticos e que nunca os vimos em campanha pelo Portugal profundo a sensibilizar o povo para esta mesma solidariedade que foi manifestada expontaneamente numa hora de grave crise para milhares de famílias. Os partidos parecem viver em outro mundo...

Pág. 29/29