Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

Milhões roubados da Fundação Século

Escabroso, revoltante e obsceno. A Fundação Século era suposto ter uma função nobre e de amparo aos mais pobres. Lembro-me de ter convencido uma senhora muito rica a dar um donativo para a fundação para que determinadas crianças pudessem passar as férias de verão na colónia balnear da fundação. Agora sabemos que a Fundação Século tem servido para as mais escandalosas actividades criminosas. Desde o peculato a desvio de fundos, desde gastos com prostitutas a viagens ao Brasil com a secretária da fundação, tudo valeu. Um tal Emanuel Martins só de um benemérito recebeu 100 mil euros e gastou-os com meninas da noite. Fez empréstimos de milhões na banca dando como garantia um posto de combustível pertencente à fundação. Este mesmo pilantre contratou para a fundação seis elementos da sua família, bem como vários 'irmãos' ligados à maçonaria. Na fundação chegaram a trabalhar dois enteados, duas noras, a mulher e o filho. Ainda com funções na instituição estiveram vários elementos ligados ao Partido Socialista.

E o vice-prersidente João Ferreirinho era da mesma bitola. Deu-se ao luxo de viajar para o Brasil gastando à grande na companhia de uma secretária da instituição. Desculpem lá, mas isto é um grande crime. Usar e abusar de uma Fundação Século ofende todos os portugueses e a justiça tem de ter mão pesada para parasitas deste calibre.

Século.jpg

 

SAPO exclui Timor-Leste

A plataforma SAPO na internet apresenta aos leitores todas as capas dos jornais e revistas nacionais e internacionais. E até tem uma ligação "Lusofonia". E mais: existe o Sapo Timor-Leste. Pois, as capa dos jornais de Timor-Leste desapareceram. Nem em "Internacional", nem em "Lusofonia". Pior: No Sapo Timor-Leste lemos um link que diz "Banca de jornais" e quando clicamos aparece, inacreditavelmente, só a capa de um jornal, por sinal o indonésio "Jakarta Post". Algo está errado no

Sapo.png

 

mundo do SAPO.

Macau: em perigo a liberdade de imprensa

Há alguns anos escrevi no meu jornal de Macau que mais tarde ou mais cedo o governo da Região havia de inventar uma maneira de condicionar a liberdade de imprensa. Ora aí está a preocupação. A propósito de protecção civil e de evitar boatos que criem alarme social, o governo de Macau quer aprovar uma lei que poderá condicionar a liberdade de expressão e de imprensa. É preocupante para quantos sempre se habituaram em Macau à liberdade.

-1.jpg

 

Catarina patética

Ontem à saída da audiência com o Presidente da República, Catarina Martins foi simplesmente patética. No local menos apropriado decidiu falar do caso Robles. O pouco que se percebeu do que disse demonstrou o descontrolo de uma líder sem nível e competência para o cargo. Primeiramente tinha apoiado as asneiras políticas do menino Robles a cem por cento. Chegou ao desplante de dizer que as notícias eram falsas e que se tratava de uma cabala. Ontem, já dizia que o Bloco de Esquerda reconhecia o erro do seu antigo vereador da Câmara de Lisboa. Catarina Martins já se devia ter demitido. Perdeu a confiança dos seus apoiantes e, pior agora, quando se soube que também é accionista de alojamento local e que o marido ao criar uma empresa para explorar o turismo rural recebeu apoio do QREN. Assim, também todos os portugueses podiam abrir um negócio. Catarina Martins deixou o seu partido de rastos e certamente que a sua conduta irá ter repercussões nas próximas eleições. O BE perdeu crédito e já ninguém acredita que seja um partido defensor dos desprotegidos. É que eles protegem-se mas é a si próprios...

Catarina martins.jpg

 

Pág. 4/4