Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

qui ' nada (7)

 


AFORTUNADA FERTUZINHOS

A Senhora deputada está muito incomodada que os portugueses à rasca sejam contemplados com medidas de emergência de 2ª. Não se importa de se preocupar com privilégios e mordomias vitalícias com os especiais de que abusadamente faz parte? Por estas duas razões não tem legitimidade para se mostrar tão altruista e muito menos para se arvorar em representante de gente que carrega um fardo que não conhece. Desça na escala  e aproxime-se da realidade que lhe cale a boca. Ou mande alguém do seu partido com um pouco de tento na lingua.

Pau de Ferro

colaborador residente

 

miseráveis

 

> Os deputados que não foram eleitos ou ficaram de fora das listas já começaram a pedir as ajudas a que têm direito.

Alguns deputados que saem após 12 anos ou mais na função, já começaram a pedir o subsídio de reintegração, que em alguns casos pode atingir os 72 mil euros. Vera Jardim, deputado socialista, confirmou que já pediu esta subvenção. Como esteve 22 anos entre o Parlamento e Governo, receberá mensalmente 80% do vencimento de deputado. Quem estava no cargo desde 2005, mas não somou 12 anos, tem direito a um vencimento mensal por cada semestre em funções. Este é o prémio que se dá aos coitados dos "miseráveis" trabalhadores que se fartaram de suar pelo bem do povo...
PAU COMMENTS
De a.marques a 15 de Junho de 2011 às 12:11
Medidas simples a tomar: Também para os políticos, para efeito de aposentação, deve ser considerada a carreira contributiva do regime geral como para qualquer cidadão. Subsídio para reintegração, uma excepção imoral, simplesmente a varrer do mapa das caras esmolas. A carreira política não é uma espécie de serviço militar obrigatório em regime de voluntariado. Quem não gosta não come!

ao que isto chegou

 

> Como é possível que tenhamos passado toda a manhã sem ouvir uma crítica à senhora Merkel? que teve o despudor e o atrevimento de ofender a nossa Assembleia da República com o ralhete e puxão de orelhas que deu aos deputados que tiveram a "desfaçatez" de reprovar o PEC do governo. A interferência vergonhosa da patroa da Alemanha nos assuntos internos de um país soberano como Portugal não merece o repúdio de nenhum político? Ao que isto chegou...