Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

O sorteio suspeito

Se na história da Magistratura deve ficar algum dos seus membros na história é o juiz Carlos Alexandre. Um homem de família humilde. O seu pai era carteiro em Mação e toda a gente o admirava. Fez sacrofícios para que o filho tirasse um curso superior. Foi para Direito e chegou a juiz. Carlos Alexandre é um homem do povo, sabe tudo sobre simplicidade, humildade e justiça. A dado momento da sua carreira cai nas suas mãos um processo relacionado com a maior bandidagem que já reinou neste país. Chamaram-lhe "Operação Marquês", porque o principal visado morava no Marquês de Pombal e tinha a mania que era um marquês pela vida faustosa que levava à base da corrupção de milhões de que é suspeito. Do seu amigo Salgado, do seu amigo da Lena, dos seus amigos da Mota-Engil, dos seus amigos da Controlinveste, dos seus amigos que licenciavam hotéis, dos seus amigos que construiam pontes, portos e autoestradas, enfim, um manancial de milhões de euros que deu para comprar uma casa em Paris no bairro mais luxuoso e um monte no Alentejo em nome da ex-mulher com quem continuou sempre mantendo relações amigáveis. Foi ao juiz Carlos Alexandre que veio a calhar um molho de bróculos sem fim, tal como podia ter sido a outro magistrado qualquer. Mas o processo tem mafia e foi por isso que Carlos Alexandre começou a receber ameaças de morte, a assaltarem-lhe a casa de Mação e deixarem uma faca junto da fotografia do filho, que passou a ter os amigos a dizerem-lhe para abandonar o processo, a ter segurança policial para que não fosse atacado na rua. Carlos Alexandre é um herói, manteve-se no seu posto e sem receios da bandidagem. Agora, concedeu uma entrevista à RTP com uma simplicidade de homem simples. Explicou muita coisa que o povo não sabia e deixou a ideia de que o sorteio para a escolha do juiz que continuaria com o processo "Operação Marquês" foi viciado. Não era preciso Carlos Alexandre dizer. Todos vimos que o sorteio foi viciado, que houve fraude, que só à quarta tentativa é que o computador apontou o nome do outro juiz Ivo Rosa, o tal que deixou Sócrates todo contente. Alguma razão haverá. Resta dizer que Carlos Alexandre fez um trabalho exemplar, de grande coragem e de pura sapiência do Direito. Os invejosos que continuem a tentar matá-lo...