Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

NÃO COMEMOS REPUTAÇÃO

 

> Algumas hostes governamentais têm estado a abanar o capacete de contentamento pelo facto de ser indicado que a reputação de Portugal no estrangeiro não foi afectada com a crise. Acontece que a reputação não nos dá de comer nem paga as dívidas ao merceeiro. Os números oficiais só deverão ser divulgados no terceiro trimestre, mas os responsáveis pelo Reputation Institute avançaram que, em 2012, a reputação de Portugal manteve-se estável.

“Ver que a situação do país se manteve estável é um sinal muito positivo”, considerou Sergei Mendoza, manager do Reputation Institute International, num encontro com jornalistas. “Apesar de toda a situação financeira, Portugal está a ser respeitado. O esforço que Portugal está a fazer e a forma civilizada como está a decorrer o apertar do cinto, não se pode comparar com a Grécia ou com as manifestações que aparecem agora em Espanha”, completou. No ano passado Portugal ficou na 19ª posição, num ranking que liderado pelo Canadá. O Reputation Institute desde 1999 que publica um ranking de reputação de países. No ano passado foram ouvidas 42 mil pessoas dos Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Itália, Canadá, Japão e Rússia.

 

 

 

 

POR 2 GAL (5)

 

A CRISE

 

 

> A crise foi a palavra mais pronunciada pelos portugueses nos dois últimos anos. A crise dá para tudo. Para despedir trabalhadores sem justa causa, é só encerrar a fábrica ou a empresa e anunciar falência, abrindo depois  noutro local. A crise dá para reduzir salários. A crise dá para dar menos dinheiro à mulher e gastar mais com as amantes. A crise dá para promover greves por dá cá aquela palha. A crise dá para não comprar brinquedos aos miúdos e gastar esse dinheiro em apostas no site Sportingbet. A crise está a constituir-se como a maior e melhor desculpa para muita coisa. A crise é só para alguns. Somente para os desempregados e para os que já nasceram pobres. Os ricos estão cada vez mais ricos. Os bancos estão cada vez mais cheios e agora só emprestam dinheiro aos jovens que querem comprar casa se eles obtarem por casas que foram devolvidas. A crise dá para pagar aos fornecedores à distância de quase seis meses ou mais. A crise é só para aqueles que nem sequer têm dinheiro para comprar medicamentos. A crise não existe neste POR 2 GAL, pelo menos, para 1% da população. Mais de 100 mil portugueses vão passar férias fora do país na Páscoa. Viva a crise!

 

 

1000-485=515:2=257.50

 

> Esta é a fórmula do estão-nos a ir ao bolso. Se deseja saber a quantia que lhe vão retirar do subsídio de Natal, confirme, assim: o total do seu salário ou reforma menos 485 euros. O total divida por dois e o quantitativo encontrado é o numerário que é retirado do subsídio.

Exemplo:

Pensão de 1000 euros (1000-485=515:2=257.50 euros)

Pensão de 4000 euros (4000-485=3515:2=1757.50 euros)