Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

a treta das renováveis

 

> Para além do lixo enorme que vai representar o abandono dos aerogeradores das eólicas daqui a 20 anos, temos as renováveis a ser um negócio da China para alguns. Tem sido uma escandaleira a que pouca gente deu atenção. Criar uma empresa para investir nas eólicas com dinheiro do Estado, leia-se de todos nós, é muito fácil (Espanha corta apoios às eólicas em 35% ). Ganhar fortunas à custa da mentira, é muito pior. Temos de abrir os olhos porque as novas concessões nas renováveis penalizam os consumidores.

HAJA LUZ


> As cerca de 1500 pessoas do concelho de Torres Vedras que hoje ainda se encontravam privadas do abastecimento de energia eléctrica têm já o seu problema resolvido.
A EDP anda mal no seu país. Mas a investir milhões no estrangeiro é uma máquina...

UTOPIA

> Agora a propaganda está transformada em carro eléctrico. Eléctrico para a esquerda, para a direita, para o Norte, para o Sul. Não há onde carregar as baterias, mas vai haver fábrica das ditas. Uma ministra até teve a desfaçatez de afirmar que Portugal foi escolhido pela Nissan como local de fabrico de baterias porque somos líderes ecológicos. Só se for nos esgotos a céu aberto e no desemprego. E nós a pensar que tinha sido por sermos uma mão-de-obra barata...
E ainda ninguém foi capaz de dizer que os carros eléctricos ainda são mais poluentes. Ai de nós, se apenas existissem carros eléctricos. Morríamos todos ionizados e de choques eléctricos.

E as baterias velhas dos carros do Estado? Seriam vendidas ao Manuel Godinho...

A POUPANÇA DO CARRO ELÉCTRICO


> Com 160.000 carros eléctricos a circular em Portugal, o país poupava 9 mil milhões de euros na factura energética, afirma Francisca Pacheco, do gabinete de apoio à mobilidade eléctrica nacional.

"A estratégia do governo para o sector das energias renováveis foi a base para arrancar com o desenvolvimento da mobilidade eléctrica", adiantou ao 'Económico' a responsável na Conferência de apresentação do novo carro eléctrico Kangoo, que decorreu hoje na Quinta da Marinha.

As estimativas apontam para que em 2010 já existam em Portugal centenas de postos de abastecimento na via pública e em 2011 alguns milhares, segundo Francisca Pacheco.

Actualmente, 25 municípios já aderiram a esta rede mas foi criado um consórcio para desenvolver os postos de carregamento do qual fazem parte a Efacec, Critical software, Novabase e Seiia.

No entanto, segundo Francisca Pacheco, a rede MOBI-E está aberta à entrada de novos parceiros.

A Renault apresentou hoje quatro modelos de carros. O Kangoo e o Fluance, que vão chegar no primeiro semestre de 2011 e que são uma vertente mais comercial.

"Para o consumidor vamos ter no final de 2011 o Twizy, que é uma espécie de motorizada com automóvel e só em 2012 teremos o Zoey. Estes dois últimos só vão existir em versão eléctrica", explicou.

Actualmente o Kangoo custa 13 mil euros. O preço da versão eléctrica vai ser idêntico.

In 'Diário Económico'