Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

Guerra Israel-Irão

 

> O mundo parece caminhar para a sua destruição. No Médio Oriente também pode estar em preparação algo de muito grave, um ataque de Israel ao Irão com a participação de ingleses e americanos, como se pode ler AQUI.

 

 

IRÃO, LENTA METAMORFOSE



> Com avanços e recuos, prisões políticas, torturas crudelíssmas, sumaríssimas execuções, mortes na praça pública, aquele Regime resiste, rastejando e banhando-se em sangue. Mas a transformação iraniana em qualquer coisa de bem com o mundo e mais semelhante ao que vigora na Turquia será irreversível. Ao ponto de um dia destes, quer Lula quer Chávez, se retractarem e terem vergonha por darem apoio a quem espezinha o seu próprio povo e o aliena tão grosseiramente. (Era uma piada revolucionária!)

Joshua, in Palavrossavrvs Rex

IRÃO É O QUE MAIS PRENDE JORNALISTAS

Irão Recorde de jornalistas presos

> Os protestos pós-eleitorais no Irão catapultaram o país para o lugar cimeiro da lista de países com mais jornalistas detidos, acusa a organização "Repórteres sem Fronteiras". De acordo com este grupo, estão agora presos 33 jornalistas no país, mais do que em qualquer outro sítio do mundo. Leia +

JÁ VI ESTE FILME







>
Entrar a matar. Disparar com balas verdadeiras. Prender manifestantes indiscriminadamente. Militares disfarçados de polícias. Esquadrões da morte. Milícias partidárias armadas por militares. Telecomunicações cortadas. Jornalistas estrangeiros expulsos. Povo aos gritos por socorro internacional. Protestos de apoio nos países democráticos e a semente da revolta a dar frutos foi filme que vi em Timor-Leste sob a égide da Indonésia, apesar dos actuais dirigentes timorenses parecerem que já se esqueceram disso tudo.
Filme semelhante está nas ruas de Teerão, uma cidade que conheço bem. Uma esperança popular de mudança que já vem de longa data. Em 1988, num hotel da capital iraniana, conversei com três mulheres que se encontravam no bar e estavam a fumar com a cara descoberta. A minha surpresa foi tão profunda que me atrevi a perguntar-lhes se algo estava a mudar no Irão. Responderam-me: "Está, mas ainda vai levar aí uns vinte anos!"...

jes ©

Telemóveis

P 9.436

Imaginem se ficam sem telemóvel durante cinco minutos, uma hora, uma manhã ou um dia. A vossa vida seria um descalabro? Um prejuízo? Pânico? Loucura? Deserto?
Pois bem, no Irão, o ditador Ahmadinejad depois de saber que perdia as eleições e de ter cometido as maiores fraudes para produzir um resultado final falso teve que enfrentar a revolta popular. Contudo, nos dias de hoje, nada será possível de enquadrar, organizar e mobilizar sem a rede móvel de telefones a funcionar em pleno e com toda a liberdade. O ditador Ahmadinejad conseguiu cortar a revolta do povo descontente com o bloqueio dos telemóveis. A impossibilidade de comunicação levou a que a revolta não se tivesse generalizado. Por enquanto...