Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

PARABÉNS AO i

 

 

> O diário 'i' comemora hoje o seu iii aniversário. Os nossos parabéns a quantos trabalham no jornal e bem-hajam pelo esforço que têm desenvolvido para que o diário se mantenha entre nós. As dificuldades financeiras são enormes, mas o trabalho ultimamente apresentado tem sido de excelência como se comprova hoje com a significativa entrevista a Vasco Pulido Valente.

O diário 'i' está muito melhor que o 'DN' e que o 'Público'. Apenas necessitava de uma campanha bem idealizada que o creditasse junto da população e mostrasse ao público leitor que o jornalismo só é bom se for executado como outsider dos vários poderes instituídos.

 

 

chocante

 

 

> Sejamos sérios. Quem quer ser proprietário de um jornal não toma essa decisão pelos lindos olhos do jornal. O empresário Jaime Antunes ou tem dinheiro ou não tem. Ou quer ser um investidor nos média ou quer ser um vendedor de bolas de Berlim. Ou quer perder dinheiro no jornal para ir ganhar em outros negócios aos quais o jornal poderá dar preponderância, ou nunca se poderia meter em cavalgadas altas. Os trabalhadores do 'i' têm feito um esforço titânico para salvaguardar a existência do jornal, mas não podem estar à mercê de um qualquer explorador que de um momento para o outro que vender gato por lebre. Aos cerca de 80 colaboradores, Jaime Antunes, o (?) novo patrão do 'i', propôs uma redução salarial a rondar os 40 por cento. Obviamente, que a dignidade de quem trabalha não se compadece com pensamentos de vendedores de cobras. É chocante quando um qualquer empresário de turismo rural pensa que ser-se proprietário de um jornal é a mesma coisa que comprar uma tasca...

 

a aldrabice de chávez

 

> Leio o 'Expresso' e na primeira página OPS! ali está preto no branco a confirmação do que o PPTAO anunciou há muito tempo. A referência diz respeito aos negócios prometidos por Hugo Chávez e que não passaram do tinteiro... Quando o ex-primeiro-ministro José Sócrates se pavoneava ao lado de Chávez anunciando vários negócios, elucidámos de imediato os nossos leitores que tudo não passava de balelas.

Os insultos socratinos do costume rapidamente caíram na caixa do correio. A verdade, é que a empresa de construção Lena e outros empresários, ficaram a arder com milhões de euros devido à falta de realização do que tinha sido prometido. Pelo exposto, passa também a justificação da venda do diário 'i' e de todas as estações de rádio que o grupo Lena pretende vender. É um bom sinal de que nem sempre a venda da alma ao diabo dá resultado...

 

boys

 

> Há por aí um jornal que passou a pasquim. Nesse sentido, apresenta-se ao público muito preocupado pelo facto de o novo governo estar a perseguir (está?) os boys socialistas. O jornal deveria ter-se preocupado pelas centenas de funcionários que foram corridos sem qualquer razão dos seus cargos pelo governo socialista de má memória. O mesmo jornal devia preocupar-se pelas dezenas de funcionários que tiveram de ser assistidos clinicamente com AVC's e intervenções do foro neurológico por se terem visto na "prateleira", sem nada para fazer e a serem maltratados pelos chefes socialistas que foram ocupar os seus lugares. Houve um caso, no Centro de Reabilitação de Alcvoitão, em que o administrador e a sua pandilha socratina atirou com um funcionário superior para a cama de um hospital com um AVC por lhe ter sunugados todas as funções importantes que exercia e chegando ao ponto de virarem a sua secretária para a parede e depopis de ter ficado sem computador, antes que contactasse com os seus companheiros de partido (PSD) ou com os familiares a descrever os crimes que lhe foram sendo cometidos durante os anos da ditadura socratina. Em todo o país foi generalizada esta actuação, acompanhada da colocação de muitos amigos e funcionários do PS. Com toda essa vergonhosa atitude prepotente e partidária, o tal jornal que virou pasquim nunca se preocupou, mas agora já sabe vir a terreiro gritar: "Ó da guarda, estão a prejudicar os nossos meninos!"...

Qual é o jornal? Vejam hoje a primeira página do 'i'.

 

Este governo até faz disto.

 

razia no 'i'

 

 

> Nem o diário 'i' precisa do meu dinheiro nem eu o dou a um ditador. Não compro mais o 'i'. Jaime Antunes é daqueles que pensa que os jornalistas são jornaleiros. Desde a ANOP que vejo este Antunes com maus olhos. Um dia, anunciou que tinha projectos imobiliários em Évora. É a minha terra e familiares gostariam muito que eu regressasse às raízes depois de vários anos a trabalhar em jornais, televisão e rádios no estrangeiro. Apresentei uma proposta a Jaime Antunes para financiar um semanário de grande qualidade para o Alentejo. Nem vos conto a sua resposta. É este mesmo homem que comprou o 'i', que chegou ao jornal despedindo o director, ameaçando com mais despedimentos, redução de custos a qualquer preço e que agora chantageia os trabalhadores do jornal. dizendo que têm cinco meses para fazer subir as vendas... há uma boa solução para o Antunes: compra-se um escadote...

 

 

 

o 'i' da lena acabou

 

 

> O diário 'i' nas mãos da construtora Lena chegou ao fim dos seus dias de vida. O grupo económico que detém vários títulos de jornais e estações de rádio regionais estava há muito interessado em vender o diário que menos vende nas bancas. O jornal foi comprado pelo empresário Jaime Antunes, que aceitou certamente o que eu não aceitei. Deve ter pago a quantia simbólica de 1 euro, ficando com um encargo mensal de despesas na ordem dos 250 mil euros. Contudo, o novo proprietário do jornal só deverá iniciar o pagamento da despesa referida após seis meses.

Tal como o PPTAO informou em primeira mão, confirma-se agora que o jornal ou encontrava um interessado na sua aquisição ou o Grupo Lena terminava a sua publicação.

 

o 'i' não vai acabar

 

 

> Algumas pessoas que trabalham no diário 'i', especialmente as que escrevem mal, falam mal na rádio e falam mal na televisão, não gostaram que eu tivesse escrito que o 'i' teria os dias contados. Pronto, preferem receber uma carta de chofre ou um SMS a transmitir-lhes que estão despedidas. Se não souberam interpretar que o meu post era uma chamada de atenção para que preparassem as suas vidas para outra vida, tudo bem, aceito as críticas, mas depois não venham dizer que eu estive certo. Desculpas vossas atiro-as para o lixo. Detesto gente que só sabe falar por trás ou mandar recados. Seria mais honesto e ético que tivessem vindo aqui responder com a vossa identidade e se debatesse os pontos de vista discordantes. Há por aí papagaias que ainda bem que vão mudar de zoo...

 

o 'i' vai acabar

 

 

> Vou contar-vos uma história verídica. Muito antes de alguém saber que o Grupo Lena iria criar um diário, eu tive conhecimento do facto e um amigo que é quadro superior de uma das empresas do Grupo foi informado da minha disponibilidade para a equipa directiva do novo jornal. Disse duas coisas: não pretendia um salàrio de 30, 20 ou 10 mil euros e traria para o novo projecto jornalístico vários investidores através de publicidade. Passaram três meses e o jornalista Martim Avillez Figueiredo foi convidado para director. Passado um ano confirmei que dificilmente o jornal poderia sobreviver sem um aumento do número de anúncios.

Hoje, estou em condições de vos informar que me foi oferecida a venda do jornal pela quantia de 1 euro, acarretando com a despesa de 250 mil euros/mensais. Apesar de já ter pegado num jornal que se encontrava no fundo do poço e tê-lo colocado como o mais popular, o mais vendido e com a maior carteira de publicidade, obviamente, que rejeitei liminarmente. Sobre a letra 'i' apenas me vem à mente 'inócuo'...