Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

lusa devia encerrar mais delegações

 

> Algo se passa de errado no espírito de certos correspondentes da Agência Lusa. Num momento em que o país atravessa uma crise vizinha da bancarrota, ainda temos certos senhores que pensam que os portugueses devem ter a alcunha do "paga e não bufa". É imoral, por exemplo, que a delegação de Paris gaste mais que a de Londres e a de Berlim juntas. E ainda por cima, o correspondente em Paris, Pedro Rosa Mendes (o mesmo que em Timor-Leste confundiu jornalismo de agência com militância política) deu-se ao desplante de dizer aos jornais que lhe acabaram com o tacho porque não lhe queriam continuar a dar-lhe a "fortuna" de que auferia. Esquecem-se certos felizardos, que o José Mário Branco há muito nos cantou: "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...".

 

LUSA FAZ GREVE






> Tomei conhecimento que os trabalhadores da Lusa vão para a greve. Tenho jornalistas amigos na Lusa e eles lá sabem as linhas com que se cosem. Só estranho que homens da informação, obviamente bem informados, não saibam ainda quanto dói o desemprego, o que é gostar e pretender escrever notícias, artigos ou reportagens e não ter aonde, o que é chegar ao fim do mês e não poder comprar um "doce" ou um livro, o que é chegar junto do Sindicato e perguntar se existe algum fundo de maneio para quem ao fim de cinco anos de bater às portas dos jornais, rádios e televisões não conseguiu nem a função de motorista. Será que sabem o que é viver com 350 euros, quando antes se vivia com cinco mil?
Os jornalistas da Lusa podem ir para a greve e têm todo o direito, mas o que me admira é que reivindiquem aumentos salariais quando eles se situam num patamar de vida médio-alto, quando podem ter casa e carro, ir ao cinema e ao teatro, gozar férias, almoçar ou jantar num restaurante decente, ter filhos na escola privada e comprar livros, jornais e revistas, no mínimo.
Vá lá, nada mau, neste Portugal ainda há grevistas de luxo... Faço votos que consigam os seus intentos e já agora, que paguem um copo cá ao John...

SAPO EM TIMOR-LESTE


> A Portugal Telecom (PT) através da empresa Timor Telecom decidiu em boa hora iniciar a plataforma SAPO em Timor-Leste. SAPO em tétum (dialecto timorense) já é uma realidade depois de ter recebido o apoio do Presidente Ramos-Horta. No site do SAPO também se podem ler as notícias de Timor-Leste em português num trabalho estreito com a Agência Lusa. Assim, estamos perante uma iniciativa muito louvável para a generalização em Timor-Leste e no mundo do conhecimento cabal do que vai acontecendo naquele país.

Lusa triste

O ambiente na agência Lusa deve andar muito triste. Quando um alto responsável da agência noticiosa se preocupa em enviar-me um comentário a insultar-me porque publiquei uma notícia citando que a informação era de um jornal, algo vai mal no reino do absurdo.
O alto responsável veio todo espicaçado informar-me que a origem da notícia era da Lusa. O tal amigo de Sócrates, que tem vindo a acumular tachos por compadrio e chantagem (à semelhança do que aconteceu em terras do Oriente), esqueceu-se que eu não sou rico para ter acordos com a Lusa, a fim de a mesma me fornecer as notícias diárias. O homem é mesmo cego...

Passagem do comentário oportuno enviado por José Martins (Banguecoque):

12 milhões de patacas

(...) Bem me recordo há 20 anos, o meu amigo João Barradas, me informou (já eu correspondente da Lusa em Bangkok) que a Lusa em Lisboa era sustentada pelo Governo de Macau e já nessa altura (segundo me disse o João) cerca de 12 milhões de patacas iam direitinhas para a sede em Lisboa. (...)