Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

eu tinha vergonha

 

 

 

 

 

 

> O que se está a passar com o ministro da Administração Interna ultrapassa todos os limites da decência e da dignidade institucional. Rui Pereira aceitou o pedido de demissão de um seu director-geral que estava relacionado com a lacuna verificada com o Cartão do Cidadão que privou milhares de pessoas de votar nas eleições presidenciais.

Um facto de tão significativa gravidade num regime dito democrático vê a responsabilidade terminar num director-geral?

Mas o ministro Rui Pereira terá a noção do que é a responsabilidade máxima inerente a uma pirâmide de competências?

É inadmissível que o ministro aceite a demissão de um seu director-geral sem simultaneamente apresentar a sua demissão.

Eu tinha vergonha de ficar sentado na cadeira no dia seguinte ao meu director-geral ter resignado para salvaguardar a minha posição. Obviamente que eu teria de entender esse gesto como um acto de solidariedade exemplar e retorquir da mesma forma. Com ministros destes não precisamos de governos...

MINISTRO AO TELEFONE

> Suzana Toscano é assessora do Presidente da República, ou seja, pertence à classe dos portugueses de primeira. A senhora foi roubada à porta de casa. Algo que acontece só em Lisboa a 30 ou mais pessoas em cada dia que passa. E como se tratou de uma portuguesa de primeira, o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, telefonou logo a Suzana Toscano a dar-lhe a apoio e a mostrar a sua preocupação pelo sucedido-
Podemos dizer ao senhor ministro que terá de passar os dias futuros ao telefone com os cidadãos assaltados à porta de casa. Só na zona da Avenida dos Estados Unidos da América/Avenida de Roma, onde residem muitos ilustres cidadãos tais como Veiga Simão, Santana Lopes, Lídia Jorge, Carlos do Carmo, Saldanha Sanches, Maria José Morgado, Fernando Lopes, Vieira da Silva, Lauro António, a mãe de António Vitorino, a mãe de Francisco Louçã e tantas mães com mais de 80 anos, registam-se roubos e assaltos todos os dias, especialmente a senhoras e a idosos. No domingo, uma senhora de 88 anos, após ter estado na pastelaria com umas amigas, ao introduzir a chave na porta do prédio, foi empurrada e roubada de tudo o que tinha incluindo as chaves de casa. Chamou-se a polícia, esta tomou conta da ocorrência e... "Ah, isto é todos os dias!", exclamou o agente...