Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pau Para Toda A Obra

Pau Para Toda A Obra

reforço financeiro

 

> Percebem alguma coisa quando, em Pequim, o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, diz que "A China apoia o reforço financeiro"? Algo dúbio e contraditório, mas muito esclarecedor cá para os meus lados. Primeiramente foi divulgado que o ministro ia á China para tentar que os chineses "comprassem dívida pública". Mas, agora atiram com a areia para os olhos com o "reforço financeiro". Por que será que os políticos nunca são capazes de falar verdade e de pensar uma só vez que os outros não são atrasados mentais?

"Reforço financeiro" pode significar tão simplesmente "empréstimo". Empréstimo a quem? Aos bancos portugueses por parte de dois ou três bancos chineses, os tais que têm emprestado aos americanos a um juro de 1 e 1,5% e que depois, através das tais agências de rating, têm emprestado a Portugal a 5 e 6% de juro. Como o assunto é grave e os números gigantescos, só vos deixo um exemplo: há três meses, um banco português estava a necessitar do cerca de 200 mil milhões de euros. Se agora a China através do tal "reforço financeiro" emprestar directamente aos bancos portugueses as quantias desejadas a um juro de 2,5 ou mesmo 3%, imaginem só como poderá "salvar-se" a situação financeira do país.

santana lopes tinha 'girls' no governo

 

> Quem o disse foi o ministro das Finanças e escandalizou a Assembleia da República. Mas não defendem que as verdades são para serem ditas? Então, depois de um deputado do PSD ter acusado um gasto astronómico num jantar da ANACOM, Teixeira dos Santos respondeu que o jantar da ANACOM foi promovido por 'girl' nomeada por Santana...

MONEY FOR THE BOYS

> O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, colocou o Parlamento em alvoroço ao falar em "money for the boys". O ministro parece que se queria referir aos dinheiros para os presidentes de Juntas de Freguesia, mas o entendimento geral é que o governante queria mostrar duas coisas: que sabe inglês e que sabe bem para onde têm ido os milhões que os "boys", [como os que foram postos no tacho da PT] mamam constantemente para servir o partido do ministro.

JORNALISTAS OU PALHAÇOS

> No interior do edifício da Assembleia da República, concretamente, nos Passos Perdidos, é proibida ou permitida a permanência de jornalistas. Se é permitida, como assiduamente temos visto na televisão, podemos concluir que temos um ministro das Finanças malcriado, rude e não democrático ou jornalistas-palhaços.
Hoje, à saída da sala do Parlamento, o ministro Teixeira dos Santos foi abordado por jornalistas, no sentido de o confrontar com o congelamento de salários aos funcionários públicos até 2013. O ministro virou a cara para o lado, não parou e seguiu pelo corredor fora. Os jornalistas, com cara de parvos e envergonhados, ficaram a falar para as paredes.
Em face de um episódio desta natureza, todos os directores de jornais que no futuro enviem os seus jornalistas a qualquer encontro com o ministro das Finanças podem ser considerados profissionais sem dignidade, sem brio e sem solidariedade pelos seus subordinados. Esses, serão os directores-palhaços. Já é hora de os jornalistas-repórteres se compenetrarem que são gente...

DOS PIORES


> Razão tem Medina Carreira quando prova por A mais B que as finanças do país estão pela rua da amargura e que o país com 100% de endividamento estará à beira da falência. Com um ministro das Finanças que internacionalmente é classificado como um dos piores, naturalmente, que não há esperança por melhores dias que valha.
Teixeira dos Santos, classificou-se no 15º lugar, numa lista de 19 do ranking do jornal britânico 'Financial Times' que se centrou na Europa a 27, deixando, no entanto, de fora as economias mais pequenas.
Num ano de crise, difícil para os titulares das pastas das Finanças, Teixeira dos Santos foi considerado “um sobrevivente” conseguindo por isso uma melhor posição este ano do que em 2008, ano em que ficou em último lugar.

Contudo, foi penalizado por “uma economia com grandes fraquezas estruturais e défices externos em escalada”. A francesa Christine Largarde foi considerada a melhor ministra das Finanças. Venceu sobretudo pela atitude internacional quando os temas foram a regulação e o futuro da banca. Esta lista, realizada pelo quarto ano, baseia-se em informações dos países de cada ministro e na opinião de um júri composto por sete economistas europeus. São três os níveis de pontuação: política, económica e de credibilidade. Se Teixeira dos Santos consegue o 15º no ranking total, ao nível político fica-se pelo 17º, na credibilidade pelo 12º lugar e é 8º no económico.